Anúncios

A coloração do céu impressionou muita gente no Rio Grande do Sul no final da tarde de sábado. Com razão. O entardecer teve cores mais fortes que o habitual e, portanto, foi muito mais colorido. 

Veja as imagens registradas pelos seguidores da MetSul nas redes sociais. 


Novo Hamburgo – Angela Orlandini

Porto Alegre – Jussara Pereira

Xangri-lá – Ivone Mallmann

Porto Alegre – Jéssica Boff

Sapucaia do Sul – Djair Flores

Caxias do Sul – Denis Goerl

Soledade – Paulo Pinheiro

Porto Alegre – Rafael Marafon

Taquara – Jauri Belmonte

Campo Bom – Filipe Natanael

Inicialmente, o que explica as cores vibrantes no céu de ontem do Rio Grande do Sul é a Física, portanto o processo de dispersão da luz em nossa atmosfera.

Com efeito, o efeito visual que deu a aparência de o céu estar em chamas (fire sky) foi resultado da combinação de dois fatores. Primeiro, a presença de nuvens altas. Segundo, a atuação dos raios crepusculares (de fim de tarde) que realçaram as cores do céu.

Nesse sentido, o ingresso de nuvens altas é comum na véspera de uma mudança do tempo. Então, são nuvens do tipo Cirrus. Estas nuvens são de cristais de gelo, o que explica as cores fortes do céu pela dispersão da luz nas partículas.

Céu e dispersão da luz

Então, os raios crepusculares têm geralmente uma aparência vermelha ou amarela porque o caminho através da atmosfera ao amanhecer e ao pôr do sol, por exemplo, passa por até 40 vezes mais ar do que os raios do sol do meio-dia.


Por fim, as artículas no ar espalham luz de comprimento de onda curta (azul e verde) através da dispersão de Rayleigh muito mais fortemente do que luz amarela e vermelha de comprimento de onda mais longa do amanhecer e do fim da tarde.

Enfim, a próxima véspera de mudança do tempo pode reservar imagens como a de ontem. Assim, câmeras prontas para fazer belas fotografias.

Anúncios