Anúncios

Câmera registra raio no Salgado Filho durante tempestade elétrica que atingiu a área do aeroporto da capital | Reprodução/YouTube

Câmera registra raio no Salgado Filho. A descarga foi captada por câmera de monitoramento de tráfego e da fonia aérea do aeródromo da capital gaúcha (SBPA). A descarga ocorreu pouco depois das duas da tarde com a forte instabilidade que atingiu a cidade no final da manhã e no início da tarde com chuva por vezes torrencial e acompanhada de muitas descargas elétricas.


É importante esclarecer que aeroportos possuem para-raios, mas a pista não pode ter obstáculos, logo fica sujeita à ocorrência de descargas elétricas. Os aviões, da mesma forma, são muito seguros e estão protegidos dos raios.

A chuva no começo da noite em Porto Alegre já atingia 60 mm em pontos da cidade, ou seja, dois terços da média histórica de precipitação de maio inteiro que é de 94,6 mm em apenas oito horas de precipitação. Trovoadas seguiam ocorrendo, apesar de muito menos freqüentes que em horas do começo da tarde. A chuva também persistia o que fará com que os volumes sejam ainda mais altos ao final deste episódio de precipitação no começo do sábado.

Por que tantos raios?

O grande número de raios hoje no Rio Grande do Sul decorreu do ingresso de ar mais quente em altitude na atmosfera com a formação de um ramo frontal quente. Neste tipo de situação é comum uma alta frequência de descargas. Trata-se de um cenário típico desta época do ano quando há avanço de ar tropical sobre uma massa de ar mais frio.

Ar quente de origem tropical avançou a partir do Norte da Argentina, o Paraguai e o Oeste catarinense com uma baixa térmica, gerando uma ramo frontal quente sobre o Rio Grande do Sul. Fez 29,9ºC em Santa Rosa e 29,4ºC à tarde em São Borja. Já Posadas, Misiones, Argentina, bateu em 30ºC, mesma máxima observada em Assunção, no Paraguai. O ar quente gerou nuvens carregadas que se concentraram no Oeste, no Centro e no Leste do Estado ao passo que no Noroeste fazia calor, cenário típico de frente quente.

Transtornos pela chuva em Porto Alegre

A chuva em Porto Alegre até 20h somava 59 mm em alguns bairros, ou seja, mais da metade da média histórica de chuva maio inteiro em menos de dez horas de precipitação. A média histórica de precipitação de maio (série 1961-1990) é de 94,6 mm na Capital.

A chuva forte provocou pontos de alagamentos e de acúmulo de água em diferentes locais da cidade. Na zona Norte, segundo a Rádio Guaíba, o arroio Sarandi chegou a transbordar com alagamentos de vias próximas. Os raios ainda trouxeram cortes de luz localidades e problemas pontuais na rede de semáforos da Capital.

Previsão para Porto Alegre

A chuva segue na noite desta sexta com períodos de moderada a forte e trovoadas em Porto Alegre, aponta a previsão do tempo da MetSul. A madrugada deste sábado ainda tem muitas nuvens e permanece a chance de chuva ou garoa, mas a instabilidade começa a enfraquecer.

O avanço de ar mais seco e frio fará com que o sol apareça durante o sábado. Ar frio chega com vento Sul, fraco a moderado com rajadas ocasionais. O dia é d agradável com mais frio à noite, quando ocorrerão as mínimas deste sábado. A temperatura no sábado na Capital varia entre uma mínima de 12ºC, que ocorre à noite e não ao amanhecer como é o comum, e uma máxima à tarde de 21ºC.


No domingo, a massa de ar seco e frio de alta pressão cobre o Estado e garante um dia de sol com amplos períodos de céu claro. O dia começa e vai terminar com muito frio, esperando-se geada na Serra. As máximas serão baixas mesmo com a presença do sol. A temperatura deve variar de uma mínima de 7ºC a uma máxima entre 16ºC e 17ºC.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

 

Anúncios