Anúncios

A MetSul alerta para o risco muito alto a extremo de fogo em vegetação no Rio Grande do Sul entre hoje e amanhã, particularmente na Metade Oeste. Desde o fim de semana queimadas vem sendo registradas em maior número e o cenário tende a piorar.

O fogo consumiu uma lavoura de trigo já colhida e parte de um um matagal em Cerro Largo, no Noroeste do Estado, na segunda-feira. Um caminhão-tanque, três retroescavadeiras e uma guarnição da Brigada Militar foram usados no combate às chamas. Um caminhão-pipa da Prefeitura de Salvador das Missões também auxiliou no enfrentamento do incêndio.

Na fronteira do Rio Grande do Sul com o Uruguai, o fogo queimou vários hectares numa área de vegetação na linha divisória de Livramento e Rivera. A vegetação muito seca pela estiagem, o calor acima de 35°C e o forte vento contribuíram para o rápido alastramento do fogo.

Marcelo Pinto/A Plateia

Marcelo Pinto/A Plateia

Uma segunda estiagem neste ano de 2020 evolui no território gaúcho. Desde o mês de setembro a chuva tem sido muito irregular e com acumulados abaixo da média histórica. Apesar de a temperatura estar abaixo da média, especialmente a mínima, o tempo seco prolongado com baixa umidade no solo e vento tem favorecido a ocorrência de queimadas.

A MetSul reforça o seu alerta que o risco de fogo está muito alto no Rio Grande do Sul com níveis extremos no Oeste e no Norte do Estado pela vegetação mais seca e o calor mais intenso. Até amanhã são previstas marcas perto ou ao redor de 40°C no Oeste e no Noroeste gaúcho. Além disso, o vento com rajadas deve se fazer presente e rapidamente propagar o fogo em caso de queimadas. 

O mapa acima mostra a projeção de risco de fogo entre hoje e amanhã do modelo meteorológico europeu. Observa-se que o risco é muito  alto (marrom) a extremo (preto) na Metade Oeste do Rio Grande do Sul e alto em grande parte do território gaúcho.

Sob este cenário, muitos focos de incêndio em vegetação e queimadas devem ser esperados tanto nesta terça como amanhã, quarta, em diferentes pontos do Estado. Com o calor intenso e vento, pequenos focos de fogo podem rapidamente se alastrar e tomar grandes proporções. O Centro, o Noroeste, o Oeste e o Norte gaúcho são as áreas de maior risco com especial risco para áreas de reflorestamento e matas em margens de rodovias. A situação deve começar a melhorar na quinta pela ocorrência de chuva.

Anúncios