Imagem do canal de vapor do satélite GOES-16 mostrava vórtice ciclônico em médios e altos níveis da atmosfera na tarde sexta no Rio Grande do Sul | METSUL/NOAA/NASA

Uma área de baixa pressão ou vórtice ciclônico em níveis médios e altos da atmosfera proporcionou um novo alento para o campo gaúcho nesta sexta-feira com ocorrência de chuva em diversas regiões do estado. O sistema, também conhecido como “baixa fria”, provocou chuva na maioria das regiões gaúchas.

Por que a chuva de hoje é uma ótima notícia? Esta é a época de maior demanda hídrica da soja, a principal cultura de verão no Rio Grande do Sul. A chuva do começo desta semana estancou perdas de produtividade no campo após duas a três semanas de precipitações escassas. Este novo episódio trouxe umidade adicional e beneficia muitas áreas que não tiveram volumes altos no início da semana.

De acordo com o último boletim conjuntural da Emater-RS, “sintomas de déficit hídrico” nas lavouras de soja foram registrados por dez dos seus doze escritórios regionais. A situação foi reportada por técnicos dos escritórios de Bagé, Caxias do Sul, Erechim, Frederico Westphalen, Ijuí, Passo Fundo, Pelotas, Santa Maria, Santa Rosa e Soledade.

Uma vez que o plantio foi mais tardio nesta sexta, pelo excesso de chuva ocorrido na primavera, a maior parte da produção gaúcha de soja (43%) está em fase de floração. As lavouras em enchimento de grãos alcançam 33% e as em germinação, 24%.

Além de uma área plantada menor pela chuva excessiva da primavera, os sojicultores trabalham com perspectiva de redução na produtividade inicialmente projetada para a cultura no Sul do estado. Em Hulha Negra, a perda estimada para o grão, até o momento, é de 5%. O mesmo foi relatado nas regionais de Passo Fundo, Pelotas e Frederico Westphalen, mesmo que a chuva tenha caído de maneira irregular em algumas áreas.

Nas últimas horas, a chuva beneficiou principalmente localidades do Centro, do Leste e da Metade Norte do Rio Grande do Sul, inclusive com acumulados que ficaram perto e acima da marca dos 50 mm em alguns municípios.

De acordo com dados de estações do Instituto Nacional de Meteorologia, os volumes até o fim da tarde desta sexta-feira somavam 45 mm em Encruzilhada do Sul, 43 mm em Rio Pardo, 42 mm em Lagoa Vermelha, 38 mm em Camaquã, 34 mm em Campo Bom e 30 mm em Bento Gonçalves.

Já medições do Centro Nacional de Monitoramento de Desastres (Cemaden) indicavam até o fim da tarde hoje acumulados de 62 mm em Caxias do Sul, 54 mm em Encruzilhada do Sul, 52 mm em São Sebastião do Caí, 51 mm em São Jerônimo, 64 mm em Cachoeira do Sul, 43 mm em Alto Feliz, 37 mm em São Francisco de Paula e Bom Princípio, 33 mm em Candelária e 30 mm em Taquari.

A nebulosidade será variável neste sábado no Rio Grande do Sul com sol, nuvens e chuva. Em muitas cidades, períodos de sol devem se intercalar com momentos de nublado ou encoberto. Chance de chuva isolada na maioria das regiões, mas com baixos volumes em geral. Maior probabilidade de precipitação em pontos do Noroeste, do Norte e Nordeste do estado. Vórtice ciclônico em médios e altos níveis da atmosfera favorece ainda a instabilidade.

A MetSul Meteorologia está nos canais do WhatsApp. Inscreva-se aqui para ter acesso ao canal no aplicativo de mensagens e receber as previsões, alertas e informações sobre o que de mais importante ocorre no tempo e clima do Brasil e no mundo, com dados e informações exclusivos do nosso time de meteorologistas.