Anúncios

A virada do ano no continente europeu será marcada por uma extraordinária massa de ar quente para os padrões climatológicos locais que trará temperatura muitíssimo acima do normal. Devem ser registradas mínimas e máximas elevadas potencialmente recordes com a possibilidade de quebra até de recordes históricos mensais em diversos países.


O Ano Novo deve ser ainda mais quente em diversos países europeus que o Natal que já foi muito quente. Temperaturas muitíssimo acima do normal ocorreram entre os dias 24 e 25 de dezembro no Oeste e no Centro do continente europeu.

No dia 25, a temperatura chegou a 15,6ºC em Abelboden, na Suiça, a 1.324 metros acima do nível do mar. Na Alemanha, máxima de 16,7ºC em Hechingen, situada a 518 metros acima do nível do mar. Fez ainda 15,8ºC em Liechtenstein.


Na França, marcas incrivelmente altas para a data com 26,3ºC em Verdun (altitude de 550 metros), 24,8ºC em Soulan e 21,3ºC em Belclaire que está a 980 metros acima do nível do mar. São marcas mais comuns no verão nestas cidades e não no começo do inverno.

Na Espanha, o Natal teve marcas históricas com recordes de temperatura máxima. Fez 26,3ºC em Angles, a temperatura mais alta já registrada na Catalunha em dezembro, e 22,1ºC no histórico Observatório Fabra de Barcelona, igualmente a temperatura mais alta de dezembro já anotada na estação.

O tempo quente e a chuva prejudicam gravemente as estações de esqui francesas localizadas em montanhas baixas com metade das pistas do país fechadas. “Iniciamos as férias de Natal com boas condições após uma onda de frio e neve, mas desde o final da semana passada o tempo ameno e a chuva levaram ao fechamento de metade das pistas”, disse Laurent Reynaud, da Domaines Skiables de France, o sindicato nacional que representa operadores de teleféricos e resorts.

Enquanto os Alpes franceses do Sul e do Norte viram apenas cerca de um quarto de suas encostas fechadas, a situação é “mais preocupante” nos Pirineus, onde apenas um quarto ou até menos das encostas permanecem abertas.

Teleféricos parados ontem em Le Semnoz, perto de Annecy, na França, após a estação de esqui fechar temporariamente devido à falta de neve | JEFF PACHOUD/AFP/METSUL METEOROLOGIA

E vai piorar. A temperatura será extraordinariamente alta na virada do ano na Europa com marcas até 15ºC a 20ºC acima da norma climática. O desvio será especialmente maior na área da Europa Central. Com o vento quente e seco que desce as montanhas chamado de Foehn, as máximas em algumas áreas alpinas na Baviera podem até se aproximar de 20ºC em pleno auge do inverno.

Vários países podem ter marcas históricas de temperatura máxima. A Letônia, por exemplo, a temperatura na véspera do Ano Novo ficará de 6ºC a 11ºC acima do normal durante algumas horas. Até agora, a véspera de Ano Novo mais quente na Letônia foi em 2016, quando Kolka registrou 9,3ºC, e o recorde de 1º de janeiro pertence a 1984, quando Jelgava teve 9,5ºC.

As previsões atuais mostram que em 1º de janeiro a Letônia também pode bater todo o recorde do mês. O recorde anterior para janeiro foi estabelecido em 10 de janeiro de 2007, quando a máxima atingiu 10,7ºC em Mērsrags e Jelgava.

A temperatura alta traz benefícios energéticos. Países europeus voltaram a reabastecer seus estoques de gás, aproveitando o tempo mais quente e a demanda reduzida nas férias de Natal. Oito países começaram a reabastecer seus estoques de gás novamente.

No verão, a União Europeia adotou um regulamento que obriga as autoridades nacionais a encher pelo menos 80% dos seus estoques de gás e, em dezembro, a Comissão Europeia também publicou um cronograma para manutenção de estoques e reabastecimento para a próxima estação de aquecimento.

Fornecimento abundante de gás natural liquefeito, estoques acima da média e desaceleração econômica típica de final de ano na demanda industrial estão pressionando para baixo o preço do gás na região.

Anúncios