Edward Whalen e sua família dizem que nunca esquecerão o momento assustador que vivenciaram enquanto dirigiam pela rodovia I-75, no estado norte-americano da Flórida, no primeiro dia deste mês. A família estava saindo de São Petersburgo e voltando para o hotel quando o impensável aconteceu. “Ela [filha de Whalen] gritou para o papai o que aconteceu e eu disse que fomos atingidos por um raio”, disse Edward Whalen.

Sua esposa Michaelle gravou o vídeo enquanto ela andava em um carro atrás do caminhão que Whalen e seus filhos estavam andando. “Ela achou a tempestade muito bonita e queria tirar uma foto dela e continuou tentando tirar fotos, mas não conseguia pegá-la”, disse Whalen. “Então meu genro recomendou que ela usasse aquele vídeo em câmera lenta”, disse.


Foi quando ela captou o grande momento. “Você podia sentir um leve zumbido no carro quando ele nos atingiu, e então minha filha mais velha estava sentada ao meu lado e ela pulou no meu colo e gritou”, contou Whalen. Ninguém no veículo ficou ferido, segundo a família, no entanto, o caminhão ficou “completamente frito” pelo raio.

“Eu tive que pular do caminhão e correr de volta para ela, abraçá-la e deixá-la saber que estávamos todos bem. Estávamos realmente confusos. Tivemos dores de cabeça”, narrou Whalen. “Essa sempre foi a minha camionete dos sonhos, e finalmente consegui. Eu tinha acabado de fazer meu terceiro pagamento e então boom”. Whalen diz, entretanto, estar feliz por saírem vivos.

Raios muito raramente atingem automóveis, ainda mais em movimento. E, mesmo se atingirem, os ocupantes estão protegidos pelo que se denomina na Física de Gaiola de Faraday e não o isolamento por pneus de borracha, como muitos acreditam. Em uma Gaiola de Faraday, o campo elétrico interno de um objeto é zero devido à natureza condutora da superfície, espalhando as cargas na parte exterior e anulando o campo na parte interna.

Assim, no caso do carro a lataria do veículo é a superfície condutora responsável e o interior do carro tem seu campo elétrico anulado. Especialistas em engenharia elétrica dizem que o carro não se trata de uma gaiola perfeita, mas suficiente para oferecer proteção.


Diferentemente de carros que raramente são atingidos por raios, aviões costumam sofrer o impacto de raios. E, assim como os veículos de terra, os aéreos também possuem blindagem eletrostática pelo mesmo princípio. A superfície metálica do avião funciona de maneira que seu interior não possua nenhuma carga elétrica.