Um centro de baixa pressão vai dar origem a um ciclone extratropical nesta quarta-feira entre os litorais de Santa Catarina, do Paraná e de São Paulo. O sistema intensifica a chuva no Sul do Brasil entre hoje e amanhã com aumento do vento e entre amanhã e quinta deve trazer rajadas fortes a muito fortes, localmente intensas, entre os litorais de Santa Catarina e do Rio de Janeiro (leia alerta).

Em vídeo na internet, publicado no Youtube, e que até a manhã desta terça-feira já tinha sido visto por mais de 30 mil usuários da plataforma, um canal “Prof. Bruno Barros – Tudo sobre Geografia” mistura informações corretas publicadas pela Meteorologia sobre o ciclone com outras falsas, distorcendo os prognósticos.


O título do vídeo, inteiramente em letras maiúsculas, afirma: “URGENTE! CICLONE DEVASTADOR ATINGIRÁ A REGIÃO SUL DO BRASIL – SANTA CATARINA E RIO GRANDE DO SUL”. O título do vídeo carrega o que o site Boatos.org, especializado em desmentir publicações falsas na internet, descreve como os elementos clássicos de um boato: “é escrito em letras maiúsculas (como se o interlocutor estivesse gritando) e não cita fontes”.

O vídeo é quase todo ele ilustrado com imagens de satélite de furacões (ciclones tropicais), a fim de impressionar e assustar quem assiste. O sistema meteorológico que se formará tem sua natureza como extratropical e não tropical, assim imagens de furacões em outras partes do mundo somente confundem e atemorizam o público, o que um mínimo conhecedor de Geografia sabe diferenciar.

O ciclone não será “devastador” no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, como afirma o título do canal que se dedica à Geografia, cuja ciência não é de previsão do tempo, esta da Meteorologia. A meteorologista da MetSul Estael Sias destaca que desde o começo da semana tem se informado que este sistema não terá efeito maior no Rio Grande do Sul com apenas chuva e vento moderado com ocasionais rajadas, mas nenhuma ocorrência extrema de vento. Estael pontua que a região de Torres pode ter volumes de chuva altos, mas sem vento muito intenso.


Conforme Estael, Santa Catarina terá maiores consequências em vento e chuva. “O Sul e Leste catarinense terão chuva volumosa a excessiva. Já choveu mais de 150 mm em pontos do Nordeste catarinense e com o que se prevê de chuva ainda haverá locais com 200 mm a 300 mm. São volumes capazes de gerar inundações e deslizamentos”, mas não haverá devastação.

A meteorologista da MetSul destaca ainda que embora o tempo fique ventoso, as rajadas mais fortes ocorrerão no Leste catarinense, sobretudo de Florianópolis para o Norte, podendo atingir 60 km/h a 80 km/h em muitas cidades perto da costa com rajadas pontuais em algumas cidades próximas ou ao redor de 100 km/h. Segundo Estael, o vento mais forte ocorrerá numa faixa entre o litoral do Paraná e do Rio de Janeiro com maior risco nas costas de São Paulo e do Rio.