Anúncios

O verão de 2014 tem sido de castigar pela sua força. Na estação convencional do Instituto Nacional de Meteorologia do Jardim Botânico, a temperatura superou 35ºC em nada menos que 9 dias desde 20 de dezembro: 35,3ºC (25/12), 38,5ºC (26/12), 39,0ºC (27/12), 37,2ºC (29/12), 36,4ºC (30/12), 36,2ºC (7/1), 36,4ºC (18/1), 37,0ºC (19/1) e 37,0ºC (20/1). Neste período de cerca de 30 dias, foram 24 jornadas com mais de 30ºC na estação de referência climatológica oficial para a capital gaúcha.


Deserto australiano deve ter as máximas do mundo na quinta-feira, mas às 18 UTC de quinta (16h em Porto Alegre) o Rio Grande do Sul estará na área mais quente do planeta naquele horário, segundo o modelo GFS (Universidade do Maine).

A comparação de um ano isoladamente com outro não se presta para sacar conclusões definitivas sobre tendências ou mesmo mudanças climáticas, mas é interessante verificar que o verão de 2013/2014 tem se mostrado até agora não só bastante quente, mas também é marcado por vários extremos. E como foi o verão há exatamente um século na Capital ? Há 100 anos, a estação também tinha alto número de dias quentes como agora, mas sem os extremos que se têm registrado. Em dezembro de 2013, a máxima oficial no Jardim Botânico foi de 39ºC no dia 27 e fez 38,5ºC na véspera, apesar de alguns bairros com monitoramento pelo Sistema Metroclima terem marcado até 41ºC nos dois dias. Em 1913, a máxima de dezembro na cidade foi 35,3ºC, no dia 29. Janeiro de 2014 tem de novo agora, como no mês passado, dias escaldantes. Em 1914, o primeiro mês do ano anotou 16 dias com mais de 30ºC. A mais alta foi 35,9ºC nos dias 3 e 24. Interessante foi a mínima bastante baixa de 21 de janeiro de 1914: frio de 12,6ºC na cidade. Fevereiro de 1914 registrou 15 dias com mais de 30ºC e máxima de 34,8ºC no dia 13. Março de 1914 teve 12 dias de 30ºC ou mais com 35,2ºC dia 18. O verão de 1914 foi na maior parte seco na Capital: volumes de apenas 76,2 mm em janeiro e 76,9 mm em fevereiro. Em março de 1914, choveu bem mais com acumulado na cidade de 154 mm.

O sol forte do começo da manhã (fotos abaixo de Antonio Schmidt e Pablo Martins) tem denunciado como serão os dias aqui no Rio Grande do Sul neste escaldante verão, sobretudo nesta semana por demais tórrida em terars gaúchas. Já de manhã cedo tem feito calor com alguns pontos amanhecendo com 26ºC a 27ºC. Basta levantar o sol no horizonte para a temperatura disparar nos termômetros. No meio da manhã, a temperatura já supera fácil 30ºC na maioria dos locais. Nesta segunda, no Rio Grande do Sul, as máximas foram 39ºC na Base Aérea de Canoas, 38,6ºC em Santa Cruz do Sul e Teutônia, 38,4ºC em Lajedo e São Leopoldo, 38,3ºC em Campo Bom, 37,8ºC em Uruguaiana e Santa Maria, 37,7ºC em Quaraí, Santa Rosa e Rio Pardo, 37,0ºC em São Luiz Gonzaga, 36,4ºC em São Borja, 36,3ºC em Livramento e 36,0ºC em Alegrete.


Foi outra jornada tórrida em Porto Alegre com direito a reclamações. Já às 9h30m da manhã, a temperatura atingia 32ºC. A tarde foi de castigar na rua. Máximas na rede do Sistema Metroclima de 39,2ºC na estação da Sertório, 38,3ºC no Menino Deus e 36,8ºC na Lomba do Pinheiro. Com tanto calor e a intensa insolação que faz o solo perder umidade rapidamente, os chuveirinhos da irrigação não pararam no gramado do renovado e deslumbrante Beira-Rio (fotos cortesia de Caio de Santi).



Para quem não agüenta mais tanto calor, a perspectiva não é boa no curto prazo. Hoje, amanhã e quinta marcam o pico de intensidade da onda de calor no Estado com marcas ou perto de 40ºC ou superando a marca em algumas localidades. Estes três dias devem ter máximas entre 38ºC e 40ºC em Porto Alegre. As noites, ademais, passam a ser bastante quentes e a madrugada de sexta, em especial, promete impressionar muita gente ante as marcas extremamente altas para o período noturno. Na sexta, antes da chegada de uma frente fria teremos aquecimento pré-frontal com vento Norte e o dia será por demais abafado. No fim de semana refrescará uma barbaridade com o avanço de uma massa de ar frio de Sul que trará máximas bem baixas para janeiro, entretanto o tão esperado alívio estará acompanhado de chuva aqui no Rio Grande do Sul.

Anúncios