Anúncios

A semana que termina foi marcada por excesso de chuva em pontos do Sul, Sudeste e o Nordeste do Brasil com estragos e vítimas. Estados como Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo e Bahia registraram danos e transtornos.

Somente em pontos do Leste e do Nordeste de Santa Catarina a chuva desta semana somou 600 mm a 700 mm com diversas localidades em situação de emergência, mortes e desaparecidos. A Grande Florianópolis inundou e as duas maiores cidades catarinenses estão em emergência.


O episódio mais grave relacionado à chuva excessiva ocorreu no Paraná, onde um enorme deslizamento de terra soterrou vários veículos na BR-376, em Guaratuba, episódio com um número ainda indeterminado de vítimas e que deve ficar na casa de dezenas.

Os episódios de chuva extrema, inundações e deslizamentos de terra desta semana foram muito bem alertados e antecipados com precisão pelos modelos numéricos utilizados pela Meteorologia com muitos dias de antecedência.


Nos próximos sete dias, a tendência não é de chuva com acumulados tão excepcionais como se viu nesta semana, mas algumas áreas do Brasil devem ter chuva forte e volumosa com marcas de 100 mm a 200 mm.

O mapa abaixo mostra a projeção de chuva para a primeira semana de dezembro do modelo meteorológico alemão Icon, disponível ao assinante na seção de mapas. Os mais altos volumes são previstos para locais do Norte, Centro-Oeste e o Sudeste do território nacional.

No Norte do Brasil, a chuva deve ter maiores volumes em localidades dos estados do Amazonas e em especial de Rondônia. Já no Centro-Oeste, onde haverá grande variabilidade de volumes, com pouca ou muita chuva conforme a localidade, os mais altos acumulados de precipitação vão ocorrer em pontos do Mato Grosso do Sul e de Goiás.

No Nordeste, a chuva não deve ter altos volumes na maior parte da região, contudo segue o alerta de chuva volumosa com altos acumulados na faixa litorânea do estado da Bahia com risco de transtornos.

No Sudeste, a chuva deve vir com maiores volumes em localidades do estado de São Paulo e do Espírito Santo, embora se preveja enorme variabilidade de volumes de uma cidade para a outra. Temporais isolados da tarde para a noite trarão chuva localmente forte a intensa com altos acumulados em curto período.

No caso do Sul do Brasil, os estados de Santa Catarina e do Paraná tendem a ter a chuva mais expressiva no período, mas que não será homogênea. Vai chover em cidades mais a Oeste da região que não foram atingidas pela chuva extrema desta semana mais a Leste. Mesmo assim as precipitações serão irregulares.

Onde o cenário é mais preocupante por chuva irregular e mal distribuída é no Rio Grande do Sul. A Metade Norte gaúcha deve ser a área do estado com os mais altos volumes nos próximos sete dias, contudo a chuva será por demais irregular e vários pontos não devem ser contemplados com precipitação satisfatória, o que vai agravar a condição do milho. Na Metade Sul, a perspectiva é de pouca chuva na maior parte das cidades, aumentando a preocupação dos produtores.

Anúncios