Anúncios

John Merizier, morador de Salt Lake City, refresca-se do calor no Strip em Las Vegas que tem registrado máximas perto de 50°C | Ronda Churchill/AFP/MetSul Meteorologia

O Oeste dos Estados Unidos enfrenta uma terceira poderosa onda de calor em apenas um mês com marcas históricas e temperatura acima de 50ºC. Primeiro foi uma onda de calor que castigou o Sudoeste norte-americano, depois um período sem precedentes de temperatura extremamente alta que cientistas dizem teria sido virtualmente impossível de ocorrer que castigou o Noroeste dos Estados Unidos e o Sudoeste do Canadá, e agora um terceiro evento de calor extremo que afeta mais uma vez o Sudoeste norte-americano.

A temperatura no sábado de 117ºF (47,2ºC), registrada na estação de St. Goerge, foi a mais alta já observada até hoje no estado de Utah, de acordo com o escritório do Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos em Salt Lake City. O dados, esclarece o NWS, ainda está sujeito à validação.


A máxima do sábado na cidade de Las Vegas atingiu 117ºC (47,2ºC), recorde para a série histórica que igualou os registros de 24 de julho de 1942, 19 de julho de 2005, 30 de junho de 2013 e 20 de junho de 2017. A mínima ontem e na sexta no Aeroporto McCarran, local oficial de medição de temperatura em Las Vegas, foi de 94ºF (34,4ºC). Ficou muito perto do recorde de maior mínima da série histórica de 95ºF (35,0ºC).

NWS/Divulgação

Várias outras estações dos estados de Nevada e do deserto na Califórnia tiveram marcas recordes durante o sábado, caso de Barstow que foi a 118ºF (47,7ºC), igualando as suas máximas históricas de 30 de junho de 1994 e 5 de julho de 2007.

A temperatura no Parque Nacional de Death Valley, segundo medição oficial do Serviço Nacional de Meteorologia norte-americano, atingiu durante o sábado 129,4ºF ou 54,1ºC às 16h27, hora local. Na sexta-feira, a máxima em Death Valley tinha alcançado 130ºF ou 54,4ºC, valor perto do recorde de 1913 de 134ºF ou 56,7ºF que é contestado como errado.

Verão de castigar no Oeste dos Estados Unidos

Os Estados Unidos tiveram o mês de junho mais quente de sua história. Diversos estados norte-americanos registraram o junho mais quente de suas séries históricas centenárias. Isso fez com que a média nacional fosse a mais alta já observada até hoje no sexto mês do ano e o primeiro do verão climático.


NCEI/NOAA/Divulgação

NCEI/NOAA/Divulgação

O Oeste norte-americano, em especial, contribuiu para o junho mais quente da história nos Estados Unidos. Tiveram o seu junho mais quente os estados da Califórnia, Nevada, Utah, Arizona, Idaho, New Hampshire, Massachussets e Rhode Island. Foi o segundo junho mais quente já observado em Washington, Oregon, Montana, Wyoming, Maine e Connecticut.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas


O Oeste dos Estados Unidos enfrentam uma seca severa a excepcional com dois anos sem trégua de chuva escassa. Os estados da Califórnia e Nevada apresentam, de acordo com a NOAA, 100% dos seus territórios atualmente em condições de seca. A seca prolongada e excepcional agrava muito o risco de incêndios florestais, reduz a oferta de água para o consumo humano, seca mananciais e aumenta dramaticamente as chances de ondas de calor extremo.

Anúncios