Anúncios

Reprodução

Um terremoto atingiu neste domingo a região do moradores de cidades do Recôncavo Baiano. A terra tremeu em municípios como Santo Antônio de Jesus, Amargosa, Muniz Ferreira, Mutuípe, Laje, São Miguel e Elísio Medrado, dentre outros. Até em Salvador e Feira de Santana houve relatos de que a terra tremeu. 

Os abalos ocorreram logo no começo da manhã, às 7h44 (hora de Brasília), e foram suficientes para derrubar os produtos de prateleiras de supermercado, mas as autoridades não comunicaram ocorrências ou vítimas do tremor. 


Conforme o observatório sismológico da Universidade de São Paulo, os abalos no estado da Bahia da manhã deste domingo tiveram magnitude entre 3,7 e 4,2. Na cidade de Mutuípe, no Vale do Jiquiriçá, o tremor teve magnitude 4.6, segundo o Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). É a mesma magnitude registrada pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) que indicou ainda a profundidade do tremor em apenas 10 quilômetros, portanto mais perto da superfície e com maior potencial de causar danos e ser sentido. 

O Brasil não é uma região de grande atividade sísmica, mas terremotos acontecem no Brasil e até já deixaram vítima fatal. Em  dezembro de 2017, uma criança de 5 anos morreu e seis pessoas ficaram feridas após um tremor de terra atingir a comunidade rural de Caraíbas, no município de Itacarambi, no Norte de Minas Gerais.

Um dos mais fortes terremotos registrados no Brasil por equipamentos sismológicos se deu em 31 de janeiro de 1955 na Serra do Tombador, estado do Mato Grosso, com magnitude de 6,2 pontos, e que não causou danos ou vítimas por ter ocorrido em área quase desabitada. Há relatos históricos de um grande abalo sísmico na região de Manaus, no Amazonas, em 1690. A região amazônica tem um histórico de tremores de maior magnitude. 

São frequentes os relatos de abalos sísmicos na Serra Gaúcha que especialistas descrevem como originários de “acomodação do terreno”. Aliás, a terra treme muitas vezes no Brasil e a população não percebe porque os abalos são de baixa magnitude.

Abalos sísmicos não são um fato novo no Nordeste do Brasil. João Câmara, no Rio Grande do Norte, frequentou os noticiários na década de 80 por uma serie de abalos sísmicos ocorridos entre agosto e novembro de 1986 que provocaram extensos no município com colapso de muitas casas. 


Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

A sequência de tremores de terra que atingiu o município foi ostensivamente estudada e documentada e até os dias de  hoje a região de João Câmara registra atividade sismológica. 

Anúncios