Anúncios

Temporais causaram transtornos neste feriado em diferentes cidades gaúchas. Em Venâncio Aires (foto), o vento arrancou o telhado de estabelecimento comercial. | REDES SOCIAIS

Temporais voltaram a causar estragos e deixaram feridos nesta sexta no Rio Grande do Sul, oito dias depois da grande onda de tempestades associada à passagem de uma frente fria que trouxe vento de até 140 km/h no estado no dia 21.

Os temporais deste feriado atingiram diversas regiões do estado, como o Alto Jacuí, os vales e a Grande Porto Alegre. Na região metropolitana, as consequências da virada do tempo se sentiram principalmente na cidade de Porto Alegre com danos estruturais em alguns pontos.

Os vendavais gerados pelas tempestades foram localizados, o que explica o porquê de ter havido poucos registros de vento forte em estações meteorológicas, diferentemente do dia 21, quando as ocorrências de vento forte a intenso foram generalizadas. A estação oficial de Teutônia, por exemplo, anotou 83 km/h.

Houve relatos de granizo miúdo a médio em várias cidades, como em pontos de Gravataí, Taquara, Canela, Viamão, São Francisco de Paula, Cachoeira do Sul, Rio Pardo e Estrela, dentre outros municípios. Temporais de granizo afetaram ainda o Planalto Sul Catarinense.


Em diferentes cidades, a virada do tempo à tarde veio com vento forte a isoladamente intenso. Foram ocorrências pontuais, mas que de forma localizada causaram estragos. Houve registro de destelhamentos e queda de árvores no interior do estado em cidades como Cruz Alta e Venâncio Aires.

Em Cruz Alta, conforme os bombeiros, o temporal causou destelhamentos, quedas de estruturas e de árvores. Algumas residências foram atingidas por árvores e casas acabaram destelhadas. Foram distribuídas lonas aos moradores. Há falta de energia elétrica e água. Em Venâncio, o vento arrancou o telhado da Fruteira Sete de Setembro, no Centro da cidade. O município ainda enfrentou alagamentos.

Em Porto Alegre, vários bairros da cidade também tiveram fortes rajadas de vento na chegada do temporal no final da tarde com destelhamentos em alguns pontos. O vento arrancou o telhado da Uniritter. No Centro, parte de prédio desabitado desabou. Três pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas ao Hospital de Pronto Socorro.

As rajadas de vento no Aeroporto Salgado Filho atingiram 72 km/h, entretanto, por efeito da topografia da capital, é certo que dentro da cidade houve rajadas de maior intensidade. Vários voos programados para pousar no aeroporto no fim da tarde tiveram dificuldades com os pilotos relatando cortante de vento e turbulência forte a severa na aproximação. Alguns arremeteram e decidiram alternar para outros aeroportos, como para Florianópolis.

Os temporais isolados, que eram previstos e foram alertados desde ontem pela MetSul se deram pela combinação de calor e umidade. A temperatura estava alta, o que agravou o potencial de temporal. Porto Alegre teve temperatura máxima de 33,1ºC e Campo Bom anotou 35,2ºC.

Vem mais chuva e temporal? Não neste sábado. O sol predomina no estado, embora alguns pontos ainda possam ter chuva na madrugada, caso do Nordeste gaúcho. Como a massa de ar sobre o território gaúcho segue quente, a temperatura sobe rapidamente sob a presença do sol e a maioria das localidades vai ter uma tarde de calor para o fim de março com máximas próximas ou acima dos 30ºC. Aquece mais no Oeste, no Noroeste, nos vales e na Grande Porto Alegre.

Anúncios