Anúncios

O ciclone extratropical que se formou junto ao litoral do Rio Grande do Sul na metade da última semana já era. O sistema de baixa pressão não apenas perdeu organização como já está muito distante do Sul do Brasil. Dados da carta sinótica da Marinha da manhã deste domingo indicaram o centro de baixa pressão a uma latitude de 15ºW e quase a 50ºS. Como referência, Porto Alegre está a 30ºS e 51ºW de coordenadas geográficas.


Significa que a tempestade oceânica que na sexta-feira estava ainda na nossa costa neste momento se encontra em latitudes que correspondem à Patagônia e longitudes correspondentes às áreas mais ocidentais da África.

O ciclone se formou a partir de um centro de baixa pressão que avançou a partir do Norte da Argentina na quarta-feira (3) e cruzou o Rio Grande do Sul, trazendo chuva e alguns temporais. No Paraguai, a baixa pressão favoreceu chuva extrema que deixou ao menos dez mortos e muitas inundações. Em algumas cidades do Oeste gaúcho, como Itaqui, a precipitação superou os 110 mm na quarta.


No final da quarta, ao alcançar o oceano, o centro de baixa pressão começou a se aprofundar em uma ciclogênese que deu origem ao ciclone extratropical responsável por vento de quase 90 km/h no Sul gaúcho na quinta (4) e depois a ressaca intensa do mar no litoral gaúcho entre sexta (5) e ontem (6), atípica em intensidade para o verão e que foi responsável por estragos na orla.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Anúncios