Anúncios

A nevada da última semana proporcionou cenas insólitas nas áreas de maior altitude do Rio Grande do Sul como acidentes de trânsito provocados pela neve e cidades que mais pareciam de outros países. Até mesmo a prática de esportes de inverno, que na América do Sul somente ocorre em estações de esqui do Chile da Argentina, foi possível com a neve acumulada no solo.


Em São Francisco de Paula, uma cidades que mais teve neve no episódio e que registrou duas pancadas intensas de neve no começo da noite da última quarta-feira, crianças eram vistas deslizando ladeira abaixo sobre pedaços de papelão na encosta de uma praça na área central do município. Em outro ponto da cidade teve quem até tivesse praticado snowboard. Foi o caso de Carolina Nygaard que aproveitou a neve para com uma prancha de snowboard aproveitar o raro dia de neve forte e acumulada.

Não foi a primeira vez que se viu snowboard na região, mas foi a primeira com neve que se tem registro. Os proprietários da pousada Toca da Onça, em São José dos Ausentes, quase todos os anos descem morro abaixo em sua propriedade com pranchas de snowboard, entretanto com geada forte e não neve.


O Rio Grande do Sul teve a segunda maior nevada em intensidade e abrangência deste século até agora na última quarta-feira e no começo da quinta, o que cobriu de branco as cidades de maior altitude da Serra, dos Campos de Cima da Serra e até pontos do Planalto Médio, como na região de Soledade. Nevou em dezenas de municípios.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

O curioso é que na mesma hora em que nevava forte com acumulação no Rio Grande do Sul e em alguns pontos de Santa Catarina na metade da última semana, temperatura alta e falta de neve obrigavam o fechamento de pistas de algumas das principais estações de esqui da América do Sul e destino de muitos turistas brasileiros no inverno antes do fechamento das fronteiras para a prática de esqui e snowboard.

Anúncios