Anúncios

Chuva torrencial acompanhada de raios atingiu Livramento e Rivera no começo da manhã desta segunda-feira com alagamentos | FABIAN RIBEIRO

Um sistema convectivo de mesoescala, que se traduz como um grande aglomerado de nuvens carregadas com chuva forte e tempestades, formou-se entre a Argentina e o Uruguai durante a madrugada desta segunda-feira. Era o que alertava a MetSul em boletim e marca o começo de um período de vários dias seguidos com instabilidade e alto risco de tempo severo, o que vai resultar também em elevados volumes de chuva em algumas regiões.

As tempestades atingiram as províncias argentinas de Corrientes, Entre Ríos, Santa Fé e Buenos Aires, além de diversos departamentos do Uruguai. A chuva forte da madrugada causou alagamentos em pontos da Grande Buenos Aires. Estação oficial da cidade de Buenos Aires registrou 40 mm na capital argentina. No Uruguai, a chuva veio forte em diversos departamentos com muitos raios, granizo e vendavais isolados.

Houve danos na cidade de Fray Bentos, departamento de Rio Negro, onde o vendaval causou queda de árvores, alguns destelhamentos e colapso de estruturas. Os acumulados de chuva até 7h da manhã chegavam a 90 mm em pontos do departamento de Salto, 80 mm em Artigas e 70 mm em Colonia e Maldonado.

Vendaval causou estragos na cidade uruguaia de Fray Bentos | REDES SOCIAIS

A forte instabilidade chegou ao Rio Grande do Sul a partir do Oeste com raios, vento forte e chuva localmente muito volumosa. Estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia registraram até o final da manhã desta segunda-feira acumulados de 104 mm em Quaraí e 47 mm em Livramento. Pluviômetros do Centro Nacional de Previsão de Desastres anotaram até o final da manhã registros de 125 mm de chuva em Quaraí e 47 mm em Rosário do Sul.

Dia virou noite em Livramento durante a manhã com chuva que trouxe alagamentos | MATIAS MOURA/JORNAL A PLATEIA

A chuva avança agora da tarde para a noite desta segunda-feira pelo Sul gaúcho e para o Centro do Rio Grande do Sul, mantendo-se o risco de temporais localizados com chuva forte, raios, ventania e ocasional granizo isolado. Isso porque a instabilidade está sendo reforçada por ar quente que traz a presença do sol em vários pontos da Fronteira Oeste e no Noroeste.

Vento forte de Norte

O ar quente vem com uma corrente de jato (vento) em baixos níveis da atmosfera que se origina na Bolívia e foi responsável por trazer vento Norte moderado a forte em algumas cidades do Rio Grande do Sul no começo desta segunda-feira. Em diversos municípios da Metade Oeste o vento atingiu velocidade entre 50 km/h e 70 km/h.

A maior preocupação com vento Norte de forte intensidade, especialmente no Oeste, na Campanha e na região de Santa Maria, será no final da terça e durante a quarta-feira. Será quando a corrente de jato em baixos níveis vai ganhar muita força e trará rajadas de vento do quadrante Norte por vezes intensas em alguns municípios, conforme análise dos modelos meteorológicos.

Instabilidade seguirá com temporais na terça

Embora o sol chegue a aparecer durante a terça em diversas cidades com abafamento, o tempo não firma e ainda chove ao menos em parte do dia em diversas regiões com risco de temporais isolados. A atmosfera vai estar quente e úmida, o que favorece nuvens isoladas de maior desenvolvimento. Da tarde para a noite temporais muito fortes devem ocorrer no Centro da Argentina.

No Rio Grande do Sul, muitas nuvens permanecem sobre o Estado durante a terça com períodos de chuva em diversos pontos. Ao longo da terça-feira, a instabilidade se concentra no Leste do Estado com chuva intercalada com aberturas de sol enquanto pelo Oeste o tempo abre com sol e forte aquecimento pelo ingresso de ar mais seco e quente.

 Quarta-feira de calorão e tempestades

Cenário perigoso de tempo severo é esperado na quarta-feira quando a corrente de jato (vento) ganhará muita força entre o Centro da Argentina, Uruguai e o Rio Grande do Sul, trazendo ar quente. A temperatura pode superar 35ºC em algumas cidades do Rio Grande do Sul com a presença do sol.

Intensas tempestades se formarão na Argentina e Uruguai, avançando depois para o Oeste e o Sul do Rio Grande do Sul. A instabilidade alcançará grande parte do Rio Grande do Sul na quinta que terá aumento de nuvens e não repetirá o calor da véspera.

Anúncios