Anúncios

Perigoso cenário de tempo severo é a previsão para o Centro da América do Sul nos próximos dias. Condições serão muito favoráveis ao registro de tempestades severas. É alto o potencial de formação de supercélulas de tempestade entre o Centro da Argentina, o Uruguai e o Rio Grande do Sul. | JULITO RIBAS/ARQUIVO

A atmosfera vai estar muito instável entre a Argentina, o Uruguai e o Rio Grande do Sul entre esta segunda-feira (25) e a quinta (28) com condições extremamente favoráveis à ocorrência de fortes a intensos temporais isolados, alguns severos, com potencial elevado de causar estragos por granizo e vendavais.


Normalmente, abril não é um período ativo para tempestades severas no Sul do Brasil, embora os temporais não deixem de ocorrer, como se viu no final da última semana com granizo grande em alguns pontos e vendavais destrutivos no estado do Paraná.

Em sendo um período de transição climática, contudo, o encontro de massa de ar quente e frio é mais frequente e há uma maior incidência de tornados de alto impacto. O memorável tornado de Xanxerê, em Santa Catarina, por exemplo ocorreu em 15/4/2015. Um ano antes, em 12/4/2014, tornado espalhou destruição no Norte gaúcho com danos severos nos municípios de Erebango, Getúlio Vargas e Tajepara.


Alguns dos mais graves episódios de tornados do Uruguai e da Argentina se deram justamente em abril como a chamada “Noite dos 100 tornados” em Buenos Aires em 13/4/1993, a onda de tornados novamente na província de Buenos Aires de 4/4/2012, o devastador tornado de Dolores em Soriano, no Uruguai, de 15/4/2016, e o catastrófico tornado na cidade uruguaia de Fray Marcos de 21/4/1970.

Portanto, mesmo que não seja um período de temporais muito frequentes como ocorre com os meses da primavera e do verão, abril tem em sua climatologia histórica episódios de tempo severo muito graves e que estão ainda na memória dos moradores das cidades castigadas.

Primeiros temporais começam hoje à noite

As condições atmosféricas vão começar a se deteriorar rapidamente entre o final do dia de hoje e a madrugada da segunda-feira no Centro da Argentina e no Uruguai com a formação de intensas áreas de instabilidade com chuva localmente forte e temporais fortes a severos com potencial de granizo e vendavais localizados.

Projeção do modelo norte-americano GFS mostra uma corrente de jato em baixos níveis da Bolívia até a região do Prata no final deste domingo

O gatilho para a instabilidade será uma corrente de jato em baixos níveis da atmosfera que vai transportar ar muito quente para as latitudes médias da América do Sul, inicialmente para o Centro da Argentina e o território uruguaio. Com o padrão divergente de vento acentuado, não se pode afastar o risco de episódios isolados de vento muito localizado e destrutivo, especialmente no Uruguai.

Projeção de chuva do modelo meteorológico europeu para a tarde de segunda

No decorrer da segunda-feira, a instabilidade do Uruguai avança para o Rio Grande do Sul e vai atingir principalmente o Oeste e o Sul gaúcho, afetando mais tarde o Centro do Estado rumo ao final do dia. É alto o potencial para temporais isolados com granizo de variado tamanho e vendavais localizados. Na maioria das áreas da Metade Norte, a segunda-feira será de sol com aumento de nuvens.

Terça-feira de mais temporais

Chove na maior parte do Rio Grande do Sul na terça-feira com a instabilidade mais generalizada entre a madrugada e de manhã. Na segunda metade do dia, o tempo começa a abrir no Oeste com advecção de ar muito quente enquanto na Metade Leste o tempo segue instável.

Projeção do índice de instabilidade Showalter do modelo norte-americano GFS aponta a atmosfera extremamente instável no Centro da Argentina, sobretudo em Buenos Aires, na tarde e noite da terça-feira

Permanece o risco de temporais isolados, seja por vento ou granizo, assim como em pontos isolados do Centro da Argentina e do Uruguai. No Centro da Argentina, principalmente, será alto o potencial para tempestades severas da tarde para a noite e que podem trazer granizo de variado tamanho e vento destrutivo localizado.

Quarta-feira de tempestades severas

Cenário perigoso de tempo severo vai se estabelecer na quarta-feira, quando uma corrente de jato em baixos níveis vai ganhar muita força entre o Centro da Argentina, o Uruguai e o Rio Grande do Sul, trazendo ar muito quente e gerando um padrão divergente de vento muito acentuado.

Violenta corrente de jato em baixos níveis da atmosfera é indicada pelo modelo GFS para a quarta-feira

O sol predomina na maior parte do Rio Grande do Sul durante a quarta-feira e vai fazer muito calor com máximas acima de 35ºC em alguns municípios, mas o tempo tende a se instabilizar com chuva e temporais principalmente nas Metades Oeste e Sul do estado.

Modelo meteorológico europeu indica muitas tempestades, diversas fortes a severas, entre o Centro da Argentina e o Uruguai na primeira metade da quarta-feira enquanto ar muito quente estará tomando conta do Rio Grande do Sul

No Centro argentino e no Uruguai, a instabilidade atingirá com muita força diversas cidades, podendo se produzir temporais severos e destrutivos em algumas localidades. A pressão atmosférica vai cair a valores de 995 hPa a 997 hPa na quarta na região da província de Buenos Aires com um jato intenso e ar quente em camadas baixas da atmosfera com altas taxas de instabilidade atmosférica.

Chuva se espalha na quinta-feira

A instabilidade vai alcançar grande parte do Rio Grande do Sul na quinta-feira que terá aumento de nuvens e não repetirá o calor da véspera. Partes do estado gaúcho podem ter chuva localmente forte e as condições vão seguir propícias a temporais isolados de vento forte e granizo.

Risco de supercélulas de tempestade

A MetSul Meteorologia adverte que o padrão atmosférico na primeira metade da semana vai ser favorável à formação de supercélulas de tempestades, algumas com rotação e possível risco de atividade tornádica, especialmente no Centro da Argentina e no Uruguai. Risco menor vai se estender a cidade do Oeste e do Sul do Rio Grande do Sul.

Já nesta segunda-feira há possibilidade de formação de algumas supercélulas de tempestade, entretanto o risco maior se dará na tarde e noite da terça-feira e durante a quarta-feira com a enorme intensificação da corrente de jato em baixos níveis e a queda acentuada da pressão atmosférica. Reitera-se que o risco principal se dará em províncias do Centro argentino e em departamentos uruguaios.

Risco alto a extremo de granizo é indicado pelo modelo norte-americano GFS para o Centro da Argentina no final da terça-feira com possibilidade de pedras de gelo muito grandes em alguns pontos como de Córdoba, Santa Fé e Buenos Aires

Embora a palavra supercélula remeta a episódios de vento destrutivo localizado, adverte-se que algumas das formações podem produzir granizo de maior tamanho. Por isso, o alerta que entre o Centro argentino, o Uruguai e parte do Rio Grande do Sul não se pode afastar a possibilidade de granizo de médio a grande tamanho de forma localizada. A atmosfera muito aquecida contribuirá para o risco de granizo de maior diâmetro.

Como consultar os mapas

O assinante da MetSul Meteorologia tem acesso a qualquer hora a todos os mapas deste boletim e muitos outros com projeções de chuva acumulada, temperatura, risco de geada, risco de granizo, índices de instabilidade atmosférica para tempestades, gráficos de previsão e muito mais a partir do nosso modelo de alta resolução WRF e os principais modelos meteorológicos internacionais como o norte-americano GFS, o Europeu, o alemão Icon, o canadense e outros. Consulte a nossa seção de mapas e faça a sua assinatura em metsul.com/assine.

Anúncios