Anúncios

Semana terá chuva isolada e passageira típica de verão em muitas cidades do Grande do Sul com a atmosfera aquecida e maior presença de umidade | FELIPE FREITAS/ARQUIVO

A semana que marca a virada para o último mês do ano e o começo do denominado verão meteorológico (trimestre dezembro a fevereiro) terá condições do tempo muito típicas desta época do ano no Rio Grande do Sul com expectativa de muito sol, chuva de curta duração e o calor normal de fim de novembro.

Há chance de chuva todos os dias desta semana no estado gaúcho, entretanto não significa que numa determinada cidade choverá todos os dias. Na realidade, o sol deve predominar a maior parte do tempo, embora com o acompanhamento de nuvens, e mais a Oeste pouco deve chover nos próximos dias.


Nesta segunda, a instabilidade afeta de forma isolada o Leste gaúcho com sol, nuvens e chuva localizada, havendo maior probabilidade de precipitação mais ao Norte do litoral gaúcho. Na terça, sol e nuvens na maior parte do Rio Grande do Sul com precipitação típica de verão, logo isolada e passageira, em pontos do Norte e do Nordeste gaúcho, como o Planalto Médio, vales, Serra, Grande Porto Alegre e Litoral Norte.

Na quarta, outro dia de sol e nuvens no estado, mas há chance de chuva isolada de verão em quase todas as regiões, exceto pontos mais a Oeste. O cenário se repete na quinta-feira, quando mais uma vez o dia terá sol e nuvens no estado com pancadas localizadas na maioria das áreas, com exceção de localidades no extremo Oeste gaúcho (região de Uruguaiana).


Já na sexta e no sábado, no final desta semana, novamente, os dias serão de sol e nebulosidade com pancadas isoladas mais concentradas entre a tarde e a noite com o aquecimento diurno. No sábado, as pancadas atingem um maior número de localidades.

Projeção de chuva acumulada dia a dia no Sul do Brasil entre esta segunda e o sábado pelos dados do modelo alemão ICON | METSUL

Sob um cenário de umidade que favorece pancadas entre a tarde e a noite, com a presença de ar quente que traz calor, temporais muito localizados não podem ser descartados, como é comum em instabilidade gerada pela temperatura alta (convecção).

O que mais se destaca nesta semana será o começo do período do ano no Rio Grande do Sul, em regra de novembro a março, em que ocorrem pancadas isoladas de chuva mais da tarde para a noite em consequência do calor e da umidade. Por isso, a chuva no verão no estado por natureza é muito mais irregular e com muito maior variabilidade de volumes na comparação com o inverno. É o conhecido padrão de “chove num canto, não chove no outro”.

Uma vez que a semana será marcada essencialmente por chuva isolada e passageira na maior parte dos municípios, a expectativa é de uma distribuição bastante irregular das precipitações. Os volumes vão variar enormemente de um ponto para outro, muitas vezes dentro da mesma localidade.

O mapa acima mostra a projeção de chuva para sete dias do modelo meteorológico alemão Icon, disponível ao assinante na seção de mapas. Como se observa, os volumes de chuva nesta semana em grande parte do Rio Grande do Sul não devem ser altos, mas pancadas localmente fortes e isoladas podem gerar acumulados bastante localizados acima do que os modelos sinalizam.

O calor será mais intenso nesta Metade Oeste gaúcha, onde todas as tardes da semana serão muito quentes com máximas de até 35ºC ou mais em algumas cidades. Mais a Leste do estado, onde está Porto Alegre, embora faça calor à tarde na maior parte da semana, as máximas não se elevam tanto quanto se prevê para a Metade Oeste.

Anúncios