Anúncios

A semana que a MetSul Meteorologia anunciou será complicada e com uma nova onda de temporais começou com fortes tempestades que provocaram morte e destruição no Uruguai e no Rio Grande do Sul. Forte área de instabilidade avançou durante a tarde do domingo pelo Oeste do Uruguai sob uma atmosfera muito quente e de baixa pressão na região que elevou a temperatura a 37,5ºC em Porto Alegre. Conforme o jornal El País, as cidades de Salto e Rivera foram as mais atingidas no país vizinho. O vento teria atingido 160 km/h em Salto, onde uma pessoa morreu, segundo a publicação uruguaia. É a sétima morte por temporais no Uruguai em apenas dez dias.



Os temporais no Oeste do Uruguai e na província argentina de Entre Rios durante a tarde de domingo coincidiram com a passagem exatamente sobre a região do satélite da NASA que carrega a bordo equipamentos de radar e que faz análise em corte vertical das nuvens. A imagem em perfil vertical é impressionante da instabilidade que atuava no chamado Litoral Oeste uruguaio. Nota-se a enorme altura das nuvens de desenvolvimento vertical e como elas eram muito carregadas.  


Os temporais ingressaram no Rio Grande do Sul pelo Sudoeste do Estado. O Aeroporto Rubem Berta de Uruguaiana registrou vento de 101,9 km/h. Em Quaraí, as rajadas foram a 99 km/h. O pior, contudo, ocorreu um pouco mais ao Sul na fronteira com o Uruguai. Em Santana do Livramento, a estação do Inmet acusou 116,2 km/h. Em Dom Pedrito, o ponto de medição do órgão federal indicou rajada de 104,7 km/h, entretanto estação automática fora da zona urbana do município indicou vento de 177 km/h, o que explica porque os danos na área urbana foram de menor monta. Não é a maior velocidade de vento já ocorrida no Rio Grande do Sul, afinal inexistem medições em todos os locais e nenhum dos tornados até hoje no Estado passou diretamente por uma estação meteorológica, mas o registro de 177 km/h das 21h30m de ontem à noite de Dom Pedrito é, sem dúvida, a maior velocidade de vento até hoje registrada por uma estação meteorológica no Rio Grande do Sul, o que torna a medição histórica aqui no Estado.


Vendaval de 116 km/h fez grandes estragos na rede elétrica em Santana do Livramento por Daniel Brada do Correio do Povo


Força do vento virou caminhão na BR-290 perto de Uruguaiana – Foto da PRF-RS

A instabilidade avançou então no sentido Norte e Nordeste. Provocou estragos ainda em Alegrete e uma situação inusitada em Rosário do Sul. Um pequeno avião fez um pouso de emergência no quilômetro 469 da BR-290. O motivo foi o forte vento. Em razão do pouso, a rodovia ficou com o trânsito em meia pista por meia hora. Ninguém ficou ferido. A forte instabilidade que avançou do Uruguai e chegou pela fronteira deu origem, então, a uma organizada linha de tempestades que avançou pelo Oeste e o Centro do Estado. Nas Missões e na região de Santa Rosa houve vento forte com muitos raios.


Raios em Três de Maio, no Noroeste do Estado, por Ricardo Bourscheid


Avião que pousou na BR-290 ontem durante vendaval, após ser recolhido pela PRF, em foto desta manhã da Polícia Rodoviária

Em São Borja, o vento atingiu 88,9 km/h. Cruz Alta teve 86,7 km/h. Caçapava do Sul foi a 81,3 km/h. Em São Gabriel, o vento alcançou 101,5 km/h. Já em Santa Maria, a base aérea anotou rajada de 109 km/h. O vendaval em Santa Maria derrubou tenda onde ocorria culto com centenas de pessoas da Igreja Batista. Cerca de 40 ficaram feridas, uma em estado grave.


Imagem do radar meteorológico das 21h de domingo mostrava uma organizada e intensa linha de instabilidade avançando pelo Centro do Estado

A linha de tempestades atingiu com força a região do Vale do Rio Pardo. Na cidade de Rio Pardo, o vento chegou a 98 km/h. Em Santa Cruz do Sul, uma casa desabou durante o temporal e outras dezenas ficaram destelhadas. Houve queda de árvores por toda a região com queda de luz. Na região carbonífera, São Jerônimo teve vento forte e queda de granizo, mas o temporal foi rápido.


Chegada do temporal na noite de domingo em Venâncio Aires por Arthur Mombach


Temporal em Santa Maria em foto remetida para a MetSul por Amanda Comasseto

O temporal chegou à área de Porto Alegre depois da meia-noite. Houve alta frequência de relâmpagos e temperatura de 28ºC antecedendo a chegada do mau tempo. Nuvem-arco avançou sobre a cidade, mas o vento não foi tão intenso e duradouro como no temporal da terça-feira da semana passada. As rajadas ficaram perto de 90 km/h e a chuva forte foi de curta duração. O temporal atingiu também a região metropolitana. Como na semana anterior, os maiores transtornos na Capital e região foram para a rede elétrica.


Nuvem-arco avançando sobre o Guaíba com raios em foto de Fernando Mainar

Noite em Porto Alegre foi iluminada pelos relâmpagos por Francis Targanski


Relâmpagos na Aberta dos Morros em Porto Alegre por Filipi Silva da Rocha

Temporal teve muitos raios em Canoas em foto de Fabiano Gutierres



Raios em Caxias do Sul por Juliano Giacomelli

A MetSul Meteorologia mantém o alerta de tempo severo durante grande parte da semana no Rio Grande do Sul. Todos os dias até sexta-feira terão condições para chuva forte e/ou temporais no Estado. Hoje e amanhã as ocorrências se dão mais da tarde para a noite em conseqüência de convecção diurna proporcionada pelo calor e a umidade. Podem tornar a ocorrer evento severos localizados com vento forte, granizo e chuva forte. Já na quarta, a instabilidade vai explodir sobre o Centro da Argentina e o Uruguai, já na primeira metade do dia, devido a uma área de baixa que se aprofunda muito e terá valores perto de 990 hPa na província de Buenos Aires. As nuvens carregadas alcançam o Estado e outras vão se formar devido ao calor, umidade e baixa pressão sobre o território gaúcho. Com isso, o risco de chuva forte e temporais é muito mais generalizado na quarta-feira. O mau tempo já afeta parte do Sul e do Oeste desde cedo, mas será da tarde para a noite que a chuva e os temporais se espalham pelo Rio Grande do Sul. Entre quinta e sexta-feira, uma frente fria avança pelo Estado com mais chuva forte e temporais. Os volumes de chuva poderão ser localmente muito altos no deslocamento desta frente com alto risco de alagamentos e inundações. Em Porto Alegre, conforme os modelos, a sexta-feira seria o dia com maior probabilidade de chuva intensa. Para informações atualizadas em tempo real sigam nossa conta no Twitter e atentem para as atualizações na nossa página do Facebook.

Anúncios