Anúncios

A passagem de uma área de baixa pressão (que depois daria origem a um ciclone junto à costa da província de Buenos Aires) e a formação de uma frente fria provocaram tempo muito severo, como era esperado, na Argentina. Os danos mais graves ocorreram em duas localidades da província de Córdoba. Mendiolaza e Villa Allende tiveram graves danos em consequência do vento. Mais de 250 árvores foram derrubadas e alguma casas de alvenaria vieram abaixo, conforme a imprensa local. São fortes as suspeitas de tornado na área pela análise das imagens. Já em Buenos Aires, o temporal de vento e chuva intensa do começo da madrugada de ontem provocou uma morte. Os maiores danos foram registrados após o telhado de supermercado ter sido levantado pelo vento, espalhando telhas numa extensa área em conjunto habitacional anexo (Reprodução La Nación).



No Uruguai, os efeitos do ciclone e da passagem da frente fria foram sentidos em vários departamentos do país com queda de árvores e postes, destelhamentos e falta de luz. De acordo com a empresa de energia estatal UTE, ao menos 330 postes foram derrubados pelo vento em todo o país. Na Capital Montevidéu, estação particular indicou rajadas de até 105 km/h perto do Prado. Tal como era antecipado pela MetSul Meteorologia, as conseqüências deste episódio de tempo severo foram menores que a dos ciclones de setembro e outubro do ano passado. A instabilidade sobre o Uruguai alcançou a nossa fronteira e Livramento teve um vendaval durante a tarde de sábado com rajadas de até 84 km/h na estação automática do Inmet. O vento foi forte o suficiente para derrubar árvores na cidade fronteiriça (foto de Daniel Badra do jornal Correio do Povo).


O ciclone na costa argentina continua a se afastar, mas ainda deixa o tempo ventoso hoje na costa da província de Buenos Aires e no Sul e no Leste do Uruguai, mas sem rajadas tão intensas quanto no dia de ontem. A frente fria associada ao ciclone está sobre o Rio Grande do Sul e a instabilidade frontal voltou a se regenerar com forte intensificação na madrugada de hoje na Metade Oeste. A imagem de satélite mostra nitidamente a frente no Estado derivada do profundo ciclone na costa da Argentina (abaixo análise de superfície das 0Z de hoje e imagens de satélite do final da madrugada deste domingo).



A MetSul mantém o alerta emitido ainda na sexta-feira de risco de tempo severo aqui no Rio Grande do Sul neste domingo. Continua a advertência da instabilidade concentrada do Centro para o Oeste e o Norte do Estado com risco de chuva localmente forte e até de temporais localizados de vento forte e granizo com potencial de danos. Volumes altos de chuva em curtos períodos serão registrados em pontos isolados. Na área de Porto Alegre, segundo a maioria das projeções analisadas, a instabilidade deve ser maior entre a segunda metade do dia de hoje e a primeira metade da segunda-feira. Não se afasta o risco de chuva forte e mesmo de temporal na região da Capital e área metropolitana. O tempo segue instável na Metade Norte do Rio Grande do Sul durante a segunda com risco ainda de chuva forte localizada, mais na primeira metade do dia em localidades do Centro gaúcho. Pelo Sul e o Oeste, prossegue a tendência de melhoria do tempo que já se inicia gradualmente hoje. Há modelos que para a terça-feira colocam o Estado inteiro com tempo bom, mas simulações como os modelos europeu e americano insistem na possibilidade ainda de chuva no Norte gaúcho, como na Serra, Alto Uruguai e no Planalto Médio.  

Anúncios