Anúncios

O domingo foi de trabalho para os bombeiros no interior do Rio Grande do Sul por conta de queimadas em diferentes pontos do Estado e a situação tende a piorar nesta semana antes da chuva na quinta-feira.

Um incêndio de grandes proporções ocorreu neste domingo no município de São Sepé em uma ampla região de mata. Foi necessária uma ação conjunta do Corpo de Bombeiros de São Sepé, dos brigadistas da Cotrisel (cooperativa local) e de moradores da região para tentar controlar as chamas que? segundo relatos, chegaram a ter metros de altura.

No Noroeste, queimada de grandes proporções atingiu uma lavoura de trigo na região de Bossoroca, entre o Rincão do Ivaí e Esquina do Ivaí, interior do município. O incêndio mobilizou bombeiros e agricultores que se valeram de aeronaves agrícolas para combater o fogo que oferecia risco também as residências dos arredores.

São Sepé

Bossoroca

Uma segunda estiagem neste ano de 2020 evolui no território gaúcho. Desde o mês de setembro a chuva tem sido muito irregular e com acumulados abaixo da média histórica. Apesar de a temperatura estar abaixo da média, especialmente a mínima, o tempo seco prolongado com baixa umidade no solo e vento tem favorecido a ocorrência de queimadas no Rio Grande do Sul. 

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, desde o dia 1° deste mês até hoje foram registrados 72 focos de queimadas enquanto que em 2019, no mesmo período, foram 42. Comparando a soma anual até agora são 3522 focos, 14% a mais que o mesmo período do ano passado. Nos últimos 30 dias, o acumulado de chuva nem chegou a 30 mm em áreas da Metade Sul do Estado. 

A MetSul alerta que o risco de fogo será muito alto até quarta-feira no Rio Grande do Sul, devendo alcançar níveis extremos no Oeste e no Norte do Estado pela vegetação mais seca e o calor mais intenso. Serão três dias seguidos com marcas perto ou ao redor de 40°C no Oeste e no Noroeste gaúcho. Além disso, o vento deve se fazer presente e rapidamente propagar o fogo em caso de queimadas. 

Anúncios