Anúncios

Anderson Alves

O Rio Grande do Sul completou nesta terça-feira (25) duas semanas seguidas em que as máximas superam 40ºC no seu território. Por muito pouco a rede do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) não conseguiu completar 14 dias seguidos com máximas acima de 40ºC, e talvez tivesse completado se a estação de Santa Rosa estivesse com transmissão normal de dados, mas automáticas particulares e de outros órgãos – como a Secretaria Estadual da Agricultura – apontaram marcas acima de 40ºC hoje.

A maior máxima hoje pelo Instituto Nacional de Meteorologia foi de 39,6ºC em São Luiz Gonzaga. Encerrou-se, assim, uma sequência de treze dias seguidos de marcas acima de 40ºC com os dados hoje disponíveis do órgão federal. Fez 41,5ºC em Quaraí no dia 12; 41,7ºC (recorde absoluto de 110 anos) em Bagé no dia 13; 40,8ºC em Bagé no dia 14; 40,6ºC em Uruguaiana no dia 15; 41,8ºC em Uruguaiana dia 16; 40,2ºC no dia 17 em Teutônia; 41,1ºC em Santa Rosa em 18 de janeiro; 41,5ºC em São Luiz Gonzaga no dia 19; 42,1ºC em Uruguaiana no dia 20; 41,8ºC dia 21 em Uruguaiana; 41,6ºC dia 22 em Uruguaiana; 42,1ºC dia 23 em São Luiz Gonzaga; 41,2ºC dia 24 em São Luiz Gonzaga; e 39,6ºC hoje em São Luiz Gonzaga.


Já estações automáticas particulares e de outras instituições no Rio Grande do Sul apontaram nesta terça máximas de 42,3ºC em Santa Rosa, 41,5ºC em Porto Xavier, 40,7ºC em Porto Vera Cruz (SIMAGRO), 40,3ºC em Santo Ângelo, e 40,2ºC em Lajedo (Univates). Na Grande Porto Alegre, os termômetros indicaram 37,4ºC em Parobé, 37,3ºC em Campo Bom, 37,0ºC em Novo Hamburgo, 36,9ºC em Canoas, 36,8ºC em Canoas, e 36,3ºC em Porto Alegre.

Último dia da onda de calor nesta quarta

O sol aparece com nuvens na maioria das regiões, mas com aumento de nebulosidade no decorrer do dia no Rio Grande do Sul nesta quarta-feira. Chove em alguns pontos já de manhã, como do Oeste e do Sul, contudo a instabilidade atinge todas as regiões gaúchas da tarde para a noite.


A chuva será muito mal distribuída o que levará algumas cidades a terem pouco ou nada de água enquanto algumas terão chuva intensa com risco de alagamentos. É alto o risco de temporais em pontos localizados com potencial de danos por vendavais e granizo.

O dia é quente e ainda abafado, mas as máximas já sobem menos na maioria das cidades pela maior cobertura de nebulosidade e o calor não é intenso em parte do Estado como pontos do Oeste e do Sul que terão instabilidade mais cedo.

Curiosamente, o Litoral Norte gaúcho que escapou do pior da onda de calor de duas semanas, pela sua posição geográfica e devido ao efeito termorregulador das águas mais fria do oceano, pode ter justamente no último dia deste episódio extremo o seu dia mais quente ou um dos mais quentes com máximas acima de 35ºC em algumas praias pelo efeito do vento de Oeste descendo a encosta da Serra e superaquecendo (aquecimento adiabático).

Refresca muito na quinta

Uma massa de ar mais frio – que não significa frio em janeiro – derrubará as máximas à tarde entre 10ºC e 15ºC em relação ao que vem ocorrendo e as noites terão mínimas 5ºC a 8ºC mais baixas que as registradas nestes dias tórridos. Assim, o desconforto térmico vai cessar. Esta grande mudança será sentida a partir de quinta-feira.

Em Porto Alegre, máximas de 25ºC a 27ºC quinta, sexta e sábado. Só no domingo voltaria a ficar ao redor dos 30ºC que é a média máxima normal de janeiro. No Oeste do Sul do Brasil, onde têm sido registradas as máximas mais altas de até 44ºC, a influência do ar frio será menor pela trajetória marítima da massa de ar. Mesmo assim haverá queda notável da temperatura. A semana terminará com máximas ao redor de 30ºC a 33ºC em cidades que repetidamente estão há vários dias com 41ºC a 44ºC.

Anúncios