Anúncios

O Sul do Brasil seguirá sendo beneficiado por precipitações neste começo de outono depois de uma primavera e um verão com chuva predominantemente abaixo da média que resultou em uma grave estiagem que comprometeu a principal safra do ano e deixou centenas de municípios em situação de emergência pela falta de água ou prejuízos decorrentes da seca.


O mapa acima mostra a projeção de chuva para sete dias do modelo meteorológico alemão Icon para o Centro-Sul do Brasil. Este modelo está disponível ao assinante na seção de mapas com quatro atualizações diárias. Observa-se a tendência de chover nos três estados do Sul e com volumes altos em algumas regiões. A instabilidade afeta também o Centro-Oeste e parte do Sudeste.

No Sul do Brasil, a chuva indicada para o Paraná e Santa Catarina na maior parte se refere ao dia de hoje (25), uma vez que nos próximos dias o tempo seco predomina, exceção do Leste paranaense e do Nordeste catarinense neste sábado (26) que ainda podem ter instabilidade com chuva e garoa por uma frente fria em processo de afastamento.


Já a chuva no Rio Grande do Sul será escassa nos próximos dias que terão o predomínio do sol, às vezes acompanhado de nuvens, sob a influência de uma massa de ar seco impulsionada por um ciclone que atua neste momento na região do Prata.

A chuva indicada no mapa de sete dias se concentra na próxima quarta-feira (30), quando o tempo deve se instabilizar no território gaúcho com a chegada de uma nova frente fria. Mais uma vez, de acordo com o modelo, os maiores volumes de chuva tendem a se concentrar na Metade Norte gaúcha, onde nesta semana muitas cidades tiveram acumulados de precipitação da ordem de 100 mm a 200 mm.

No Centro-Oeste, os dias mais instáveis serão hoje (25) e quarta-feira (30) da próxima semana. Hoje, por conta da frente fria associada ao ciclone na Argentina, e na quarta que vem por uma nova frente fria que se aproxima. Entre amanhã (26) e terça (29), as precipitações vão ser escassas ou muito isoladas e mais concentradas no Norte do estado no Mato Grosso do Sul. Já no Mato Grosso, todos os dias devem ter pancadas isoladas.

Na Região Sudeste, a chuva nos próximos sete dias deve se concentrar mais sobre São Paulo, o Triângulo Mineiro, o Centro-Sul de Minas Gerais e os estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Os volumes de chuva devem ser muito irregulares e variáveis com acumulados baixos em algumas áreas e altos isoladamente por força de temporais localizados. O tempo seco segue predominando no Norte de Minas.

Entre hoje e segunda, a chuva atinge a maior parte do Sudeste do Brasil por força de uma frente fria que avança do Sul do país. Na terça e na quarta, a instabilidade diminui e o tempo passa a ser firme na maioria das áreas. Na quinta da semana que vem (31), o tempo novamente se instabiliza em muitas áreas do Sudeste pela chegada de um novo sistema frontal.

Na cidade de São Paulo, a instabilidade maior ocorre entre este sábado (26) e a segunda (28), embora o tempo não fique firme na terça (29). Na cidade do Rio de Janeiro, a chuva ocorre principalmente no domingo (27) e no começo da semana. No geral, os volumes não devem ser altos nas duas capitais, mas não se pode afastar o risco de precipitação isolada de forte intensidade com altos volumes em curto período.

Anúncios