Anúncios

A instabilidade maior no Centro-Sul do Brasil nos próximos sete dias tende a se concentrar no Centro-Oeste e no Sudeste. 

Isso porque o canal primário de umidade estará voltado mais ao Brasil Central no período. Isso levará a acumulados de chuva mais altos nestas áreas. 


Assim, os maiores volumes de chuva nos próximos sete dias são esperados em estados do Centro-Oeste e do Sudeste. 

Os acumulados em algumas  áreas destas regiões devem ficar entre 100 mm e 200 mm nos próximos sete dias. A chuva, entretanto, será irregular. Em muitos municípios, volumes não devem superar 50 mm ou 75 mm. 

Com efeito, no Sudeste e no Centro-Oeste do Brasil, a chuva ocorre predominantemente em forma de pancadas e será irregular. Isoladamente, as pancadas são torrenciais e com temporais de verão. 

No Sudeste do Brasil, a instabilidade maior nos próximos sete dias vai se dar em São Paulo e em Minas. Mesmo assim muitos municípios paulistas não terão volumes expressivos. 

Precipitações fortes e com potencial para alagamentos apenas em pontos isolados, acompanhando temporais localizados de verão gerados pelo calor e que tendem a ocorrer da tarde pra noite.

No Sul do Brasil, as pancadas de chuva isoladas predominam ate o começo da semana intercaladas com horas de sol. Em pontos isolados são fortes com risco de temporal.

Ingresso de ar mais seco e frio na próxima semana deve inibir a chuva na maioria dos dias na maior parte do Rio Grande do Sul.


O mapa acima mostra a projeção de chuva para sete dias do modelo canadense. Este modelo está disponível ao assinante com quatro atualizações diárias na seção de mapas do site. 

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Anúncios