Anúncios

A instabilidade maior no Centro-Sul do Brasil nos próximos sete dias tende a se concentrar no Centro-Oeste e no Sudeste. 

Isso porque o canal primário de umidade estará voltado mais ao Brasil Central no período. Isso levará a acumulados de chuva mais altos nestas áreas. 


Assim, os maiores volumes de chuva nos próximos sete dias são esperados em estados do Centro-Oeste e do Sudeste. 

Os acumulados em algumas  áreas destas regiões devem ficar entre 100 mm e 200 mm nos próximos sete dias. A chuva, entretanto, será irregular. Em muitos municípios, volumes não devem superar 50 mm ou 75 mm. 

Com efeito, no Sudeste e no Centro-Oeste do Brasil, a chuva ocorre predominantemente em forma de pancadas e será irregular. Isoladamente, as pancadas são torrenciais e com temporais de verão. 

No Sudeste do Brasil, a instabilidade maior nos próximos sete dias vai se dar em São Paulo e em Minas. Mesmo assim muitos municípios paulistas não terão volumes expressivos. 

Precipitações fortes e com potencial para alagamentos apenas em pontos isolados, acompanhando temporais localizados de verão gerados pelo calor e que tendem a ocorrer da tarde pra noite.

No Sul do Brasil, as pancadas de chuva isoladas predominam ate o começo da semana intercaladas com horas de sol. Em pontos isolados são fortes com risco de temporal.

Ingresso de ar mais seco e frio na próxima semana deve inibir a chuva na maioria dos dias na maior parte do Rio Grande do Sul.


O mapa acima mostra a projeção de chuva para sete dias do modelo canadense. Este modelo está disponível ao assinante com quatro atualizações diárias na seção de mapas do site. 

Anúncios