Anúncios

A MetSul Meteorologia projeta que os maiores volumes de chuva nos próximos sete dias ocorram na região do Brasil Central. O canal primário de umidade da América do Sul, que se origina na Amazônia, vai atuar entre as regiões Centro-Oeste e Sudeste, trazendo chuva volumosa em alguns estados.

A tendência de chuva para os próximos sete dias indica que os maiores acumulados de precipitação devem se concentrar sobre os estados do Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Em Minas, em particular, os volumes de chuva podem ser muito altos no período com marcas tão altas quanto 150 mm a 200 mm em alguns pontos. Belo Horizonte está na área de risco de chuva excessiva. A chuva, na maior parte dos dias, virá com temporais da tarde para a noite com precipitações torrenciais e com elevadíssimos volumes em curto período, o que traz risco de alagamentos, inundações repentinas e deslizamentos de terra.

No Sul do Brasil, os maiores volumes de chuva devem se concentrar entre o Norte do Rio Grande do Sul e o Paraná com os maiores volumes no Leste paranaense, o que inclui a região de Curitiba que segue precisando de chuva para a reposição dos níveis de reservatórios que abastecem a cidade. A instabilidade retorna ao Rio Grande do Sul pelo Oeste neste fim de semana e atua na Metade Norte em especial na primeira metade da semana. Os acumulados em algumas áreas devem superar o projetado pelo modelo, de acordo com a avaliação da MetSul, por ser instabilidade associada à convecção com ocorrência de temporais isolados de chuva intensa.

O mapa acima mostra a projeção de chuva para os próximos sete dias do modelo Icon do serviço meteorológico alemão. Este e outros modelos com projeções de chuva para dias, semanas e meses, com várias atualizações diárias, estão disponíveis com exclusividade ao assinante da MetSul na seção de mapas do site para o planejamento de suas atividades no campo, análises do mercado de energia e outras demandas de informação para a atividade econômica.

Anúncios