Anúncios

O mapa de precipitação dos últimos dez dias de junho no Brasil é clássico da climatologia de inverno território brasileiro com uma enorme área sem precipitação e tempo seco no centro do país e a chuva concentrada nos extremos Norte, Sul e Leste da geografia nacional.


O mapa acima mostra a projeção de chuva para dez dias do modelo meteorológico europeu, disponível ao assinante (assine aqui) em nossa seção de mapas. Como se observa no mapa, os mais altos volumes são projetados principalmente em áreas mais ao Norte e ao Sul do Brasil nestes últimos dez dias de junho.

A Região Norte deixa o período mais chuvoso do ano que se denomina de inverno amazônico, período do calendário em que há uma maior concentração das chuvas que vai de dezembro até meados de maio, e que normalmente concentra 60% a 70% da precipitação do ano.


Com isso, os volumes de chuva diminuem na maior parte do Norte do Brasil, mas não deixa de chover. Os mais altos acumulados de precipitação na região nos próximos dez dias tendem a se concentrar no Norte do Amazonas, Roraima e Amapá, em torno da linha do equador.

Por sua vez, a chuva diminui bastante em áreas mais ao Sul do Amazonas, Pará e Tocantins e em muitos pontos sequer deve chover no período, especialmente em cidades mais próximas do Planalto Central.

Na Região Nordeste, a chuva será escassa em área mais ao interior da região como no Agreste e tende a se concentrar em setores perto da costa, como é o comum nesta época. Pode chover por vezes forte em pontos do litoral e próximos, especialmente entre o litoral Norte da Bahia e a Paraíba. Chove ainda mais em locais mais ao Norte do Piauí e Maranhão.

O Centro-Oeste do Brasil terá o predomínio do tempo muito seco nos próximos dez dias e não há previsão de chuva até o final do mês na esmagadora maioria dos municípios da região com muito sol no Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal.

Trata-se de uma condição típica da climatologia desta época do ano, uma vez que o inverno se caracteriza como a estação seca no Centro do Brasil com os meses mais secos do ano no Centro-Oeste e no Sudeste do Brasil.

Por isso, assim como no Centro-Oeste, não há expectativa de chuva até o fim de junho na maior parte da Região Sudeste. Poucos pontos devem ter precipitação, como áreas do Sul paulista, e setores isolados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e o Nordeste de Minas Gerais.

Na Região Sul, a chuva atingirá os três estados nos próximos dez dias com destaque para o Rio Grande do Sul que pode voltar a ter chuva forte em algumas áreas, uma semana depois de um ciclone ter causado mortes e destruição no estado.

Uma área de baixa precipitação traz chuva neste meio de semana para a maior parte das cidades gaúchas, entretanto, os volumes não devem ser altos. No fim de semana, contudo, os dados começam a indicar a formação de uma frente quente que poderia trazer acumulados localmente altos de precipitação.

Anúncios