Anúncios

Os próximos dez dias devem ter altos volumes de chuva em pontos de todas as regiões do Brasil com o aumento da umidade sobre o território brasileiro, o que vai levar a um aumento das precipitações em áreas do país que experimentaram os primeiros dez dias com chuva escassa ou abaixo da média.

Nos primeiros dez dias do mês, o mapa da chuva no Brasil era clássico dos meses de verão no país com um canal de umidade organizado entre as regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste por conta da formação de uma Zona de Convergência do Atlântico Sul. Desta vez, a umidade estará menos concentrada numa faixa a mais dispersa pelo país.


O mapa abaixo mostra a projeção de chuva para dez dias do modelo meteorológico do Centro Europeu (ECMWF) a partir dos dados da rodada da 0Z desta terça-feira. O modelo está disponível ao nosso assinante (assine aqui) em nossa seção de mapas. Observa-se como a chuva vai estar mais espalhada pelo país com aumento notável no Sul e em parte do Nordeste.


No Sudeste, à medida que a Zona de Convergência do Atlântico Sul se desconfigura, haverá um menor número de horas de chuva e ocorrem aberturas após dias muito nebulosos, mas com a temperatura subindo mais cresce a possibilidade de chuva localizada muito intensa e temporais da tarde para a noite. São os casos de São Paulo e de Minas Gerais, por exemplo.

O que chama muito atenção no mapa é o significativo aumento da chuva em parte do Sul do Brasil, especialmente no Rio Grande do Sul que vem sofrendo com uma estiagem que reduz os níveis dos rios e causa perdas na agricultura.

A chuva que se repete hoje e nos próximos dias, entretanto, não terá nem duração nem volumes suficientes para acabar com a estiagem no Rio Grande do Sul e tampouco poderá reverter o grande déficit de precipitação acumulado durante os últimos meses. Mas será benéfica em vários pontos.

Nem todas as cidades gaúchas registrarão chuva satisfatória, mas em diversas se projeta que os acumulados de precipitação nos próximos dias possam somar marcas de 30 mm a 50 mm com registros superiores. Haverá pontos isolados com acumulados de até 75 mm a 100 mm somados até o começo da próxima semana.

São volumes que vão trazer alento em parte do campo gaúcho, evitando um agravamento maior da estiagem e perdas ainda mais expressivas em lavouras. Será um alento ainda para o abastecimento de água, uma vez que rios como da Grande Porto Alegre, hoje em situação hidrológica grave a crítica, devem experimentar um aumento em seus níveis.

Anúncios