Anúncios

Calor e umidade devem formar nuvens carregadas de chuva em diversos pontos do Rio Grande do Sul tanto neste sábado como no domingo | CLAUDINHO SILVA PHOTOS

Este fim de semana vai ter chuva na maior parte do Rio Grande do Sul. Vai resolver o problema da estiagem? De jeito nenhum! Vai amenizar o quadro de deficiência hídrica? Na esmagadora maioria dos municípios, não. Mas neste momento qualquer chuva é bem-vinda sob um quadro de constante agravamento da estiagem em que precipitações são extremamente deficientes e o solo perde umidade aceleradamente com o forte calor.

O sol aparece com nuvens em todo o estado neste sábado, mas no decorrer do dia a nebulosidade aumenta. Chove já de manhã em pontos do Oeste e da fronteira com o Uruguai. Da tarde para a noite as pancadas atingem a maioria das demais áreas. A atmosfera vai estar muito aquecida, elevando o risco de temporais bastante isolados em que pode ter chuva forte, queda de granizo e rajadas de vento forte.


O calor será intenso em parte do estado. No Oeste, pelas nuvens, não repete as marcas ao redor ou acima dos 40ºC dos últimos dias. O calor aumenta muito neste sábado é do Centro para o Norte e o Nordeste gaúcho. Previsão é de máximas de 37ºC a 39ºC nos vales, de 36ºC a 37ºC em Porto Alegre, 32ºC a 34ºC em alguns pontos da Serra e até 34ºC no Planalto Médio.

No Litoral Norte, um sábado bastante aproveitável. O dia tem muito sol na orla e calor com posterior aumento da nebulosidade e chance de chuva em algumas praias até o fim do dia, mas não em todos os balneários. Probabilidade de chover neste sábado é maior no Litoral Sul gaúcho.


Já este domingo terá sol e nuvens em parte do Rio Grande do Sul enquanto em alguns locais o dia deve ter maior presença de nuvens com muitos períodos de céu nublado a encoberto. A chuva deve se concentrar mais na Metade Norte, onde pode chover forte em diferentes pontos, mas cai também em pontos do Centro para o Sul gaúcho.

Chove em alguns locais de manhã, mas com maior abrangência na Metade Norte da tarde pra noite. Segue a possibilidade de temporais isolados de chuva forte, vento e queda de granizo. O começo do domingo tem áreas de instabilidade que atuam no Sul gaúcho e que depois devem avançar pela Lagoa dos Patos em direção à região de Porto Alegre.

A massa de ar quente permanece sobre o estado no domingo. O dia terá muito calor em cidades do Oeste, da Campanha e do Sul. Na Metade Norte, pela maior presença de nuvens e instabilidade, não aquece tanto quanto neste sábado, mas o dia será muito abafado.

Chuva que não resolve a estiagem

A tendência é de chover em grande parte do Rio Grande do Sul neste fim de semana e em todas as regiões geográficas do estado, entretanto isso não significa que vai atingir todos os 497 municípios e mesmo a integralidade dos pontos do território gaúcho. É provável que em diversos municípios chova pouco ou nada enquanto em alguns as precipitações podem ser mais volumosas e trazer algum alívio.

O mapa acima mostra a projeção de chuva para 48 horas do modelo WRF de alta resolução da MetSul até 21h do domingo. Observe como os volumes de chuva não tendem a ser altos, com exceção de pontos isolados, e que em muitos locais as precipitações devem ser nulas ou irrisórias, portanto, sem efeitos sobre o quadro de estiagem grave.

Cenário semelhante é apontado pelo modelo meteorológico alemão Icon. De acordo com esta projeção, a chuva atinge todo o estado no fim de semana, mas com volumes baixos na grande maioria das localidades. Pontos mais ao Norte gaúcho receberiam os maiores volumes.

Um desenho de chuva bastante irregular e com grande variabilidade de volumes, embora baixos na maior parte dos municípios, da mesma forma é indicado pelo modelo meteorológico canadense para este fim de semana no Rio Grande do Sul. O modelo sinaliza chuva em todas as regiões do estado, porém muito mal distribuídas.

É importante pontuar que os modelos no verão têm dificuldade em antecipar volumes de chuva muito altos bastante isolados que ocorrem sob temporais em dias muito quentes, por isso é provável que em algumas localidades de forma bastante localizada chova mais ou muito mais que o indicado pela modelagem numérica.

Como consultar os mapas

Todos os mapas neste boletim podem ser consultados pelo nosso assinante (assine aqui) na nossa seção de mapas. A plataforma oferece ainda mapas de chuva, geada, temperatura, risco de granizo, vento, umidade, pressão atmosférica, neve, umidade no solo e risco de incêndio e raios, dentre outras variáveis, com atualizações duas a quatro vezes ao dia, de acordo com cada simulação. Na seção de mapas, é possível consultar ainda o nosso modelo WRF de altíssima resolução da MetSul.

Anúncios