Anúncios

Concentrações de gases do efeito estufa como dióxido de carbono e metano batem níveis jamais antes observados em dezenas de milhares de anos e contribuem para as mudanças no clima e a aceleração do aquecimento do planeta | PHILIPPE DESMAZES/AFP/METSUL METEOROLOGIA

A temperatura mundial atingiu uma média superior a 1,0°C acima dos níveis pré-industriais nas últimas duas décadas. Foi a primeira vez que um período de 20 anos atingiu tal limite desde que os registros começaram em 1850. Os dados de temperatura publicados pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) em seu relatório preliminar do Estado do Clima Global de 2021 mostraram que o período 2002-2021 atingiu uma média de 1,01°C (± 0,12°C). O Acordo de Paris tem como objetivo limitar o aquecimento global bem abaixo de 2,0°C e de preferência na meta superior de 1,5°C.

A influência do resfriamento trazido pelo fenômeno La Niña, atualmente em curso no Oceano Pacífico Equatorial, deve manter o valor da temperatura anual final de 2021 entre o quinto e sétimo ano mais quente desde 1850. Os últimos sete anos, de 2015 a 2021, devem caracterizar o período de sete anos mais quente já registrado.  A temperatura média global de 2021 (com base nos meses de janeiro a setembro) foi cerca de 1,08ºC acima da média de 1850-1900.


O professor Stephen Belcher, cientista-chefe do Met Office do Reino Unido, disse que “as observações mostram que a temperatura global em 2021 é mais alta do que a média, apesar do ligeiro ciclo natural de resfriamento de curto prazo associado ao La Niña no Pacífico”.

“Os números provisórios deste ano mostram que a tendência da temperatura continua sendo de alta. O fato de que a média de vinte anos atingiu mais de 1,0°C acima dos níveis pré-industriais balizará o trabalho dos delegados na COP26 que desejam manter o aumento da temperatura global dentro dos limites acordados em Paris há seis anos”, afirmou Belcher.

“Concentrações recordes de gases de efeito estufa na atmosfera e o aquecimento associado impulsionam o planeta para um território desconhecido com repercussões de longo alcance para as gerações atuais e futuras”, afirmou a Organização Meteorológica Mundial (OMM) em comunicado.


O relatório provisório do Estado do Clima de 2021 foi lançado no início das negociações da ONU sobre Mudanças Climáticas, a COP26, que ocorre em Glasgow, na Escócia. O documento traz indicadores climático, como concentrações de gases de efeito estufa, temperaturas, condições meteorológicas extremas, nível do mar, aquecimento e acidificação dos oceanos, recuo das geleiras e derretimento do gelo, bem como impactos socioeconômicos.

Em 2020, as concentrações de gases de efeito estufa atingiram novos máximos. Os níveis de dióxido de carbono (CO2) foram 413,2 partes por milhão (ppm), metano (CH4) 1889 partes por bilhão (ppb)) e óxido nitroso (N2O) 333,2 ppb, respectivamente, 149%, 262% e 123% acima dos de níveis pré-industriais (1750). O aumento continuou em 2021.

Anúncios