Anúncios

Xinhua

Dezenas de milhões de pessoas em toda a China foram afetadas por chuvas torrenciais neste verão que causaram inundações e deslizamentos de terra em cidades e vilarejos de dezenas de províncias. É a pior enchente que atinge a China em décadas. 

As fortes chuvas afetaram 27 das 31 províncias do país desde junho, atingindo mais de 37 milhões de pessoas e deixando 141 mortos ou desaparecidos, disse o Ministério de Gerenciamento de Emergências. As perdas econômicas foram estimadas em 86 bilhões de yuans (12,3 bilhões de dólares) até o momento. Em comparação, a enchente de 1993 ao longo do rio Mississippi e seus afluentes – uma das inundações mais caras e devastadoras vistas nos Estados Unidos – resultou em cerca de 50 mortes e 54.000 pessoas sendo evacuadas. As perdas econômicas foram de 15 a 20 bilhões de dólares.


Xinhua

Xinhua

Xinhua

As inundações da China começaram no Sul, na região de Guangxi Zhuang e na província de Guizhou, em junho. Desde então, fortes chuvas causaram estragos em grandes áreas do país, incluindo a província de Jiangxi no Leste, Anhui no Sudeste e Hubei no Centro. 

A escala do desastre é vasta, com o nível da água de 433 rios acima da cota de inundações desde junho, e 33 deles em níveis recordes, segundo o Ministério de Recursos Hídricos. Vertedouros da gigantesca hidrelétrica de Três Gargantas chegaram a ser abertos.

Xinhua

Em algumas das áreas mais atingidas, como Jiangxi, os diques romperam e as casas foram destruídas, lembrando os moradores das inundações devastadoras de 1998 que mataram mais de 3.000 pessoas e deixaram 15 milhões de desabrigados. 

Xinhua

Xinhua

Xinhua

Xinhua

Xinhua

Xinhua

A China tem inundações comumente no verão, mas uma combinação de razões climáticas e comportamento humano contribuiu para uma duração mais longa do que o habitual e chuvas incessantes em algumas regiões. “O sistema subtropical de alta pressão no Oeste do Pacífico Norte foi forte este ano”, disse Song Lianchun, meteorologista do Centro Nacional de Clima. “Sua combinação com o ar frio levou à forte chuva contínua na bacia do rio Yangtze”, explica.

De 1961 a 2018, houve um aumento nos eventos de “chuvas extremamente fortes” na China, de acordo com o China Climate Change Blue Book (2019). E desde meados dos anos 90, a frequência de chuvas extremas aumentou dramaticamente. Nos últimos 60 anos, o número de dias de fortes chuvas aumentou 3,9% por década. 

As inundações mais conhecidas da China foram em 1931, quando mais de 2 milhões de pessoas foram mortas. As inundações alagaram uma área do tamanho da Inglaterra e metade da Escócia combinadas, afetando cerca de 25 milhões de pessoas ou um décimo da população da época, escreveu Chris Courtney, professor assistente da Universidade de Durham, em The Nature of Disaster in China.


Desde que a República Popular da China foi fundada em 1949, houve duas enchentes catastróficas. A primeira foi no verão de 1954, ao longo do rio Yangtze, resultando em mais de 30.000 mortes e afetando 18 milhões de pessoas. A segunda  foi em 1998, novamente ao longo do Yangtze. Foi a pior inundação nos últimos anos, com mais de 3.000 pessoas mortas, 15 milhões ficaram desabrigadas e 24 bilhões de dólares em perdas econômicas.

Song Lianchun, chefe do Centro Nacional do Clima, disse a repórteres que as chuvas deste ano não afetaram uma área tão ampla da bacia do rio Yangtze como em 1998. “As inundações em 1998 tiveram um impacto em toda a região de Yangtze, mas neste ano, as chuvas torrenciais afetaram principalmente as partes média e baixa do rio, então a área afetada é menor ”, disse Song.

Anúncios