Anúncios

Há cem anos, entre os dias 22 e 23 de junho de 1918, Buenos Aires se tapava de branco por uma grande nevada. A neve começou ao redor do meio-dia ou à tarde do dia 22, de acordo com os relatos da época, e persistiu até o dia 23. Era um fim de semana. No dia 22 a temperatura máxima foi de 9ºC na capital argentina e começou a cair até alcançar a mínima de -1,4ºC. Na jornada seguinte, mínima de -2,1ºC e máxima de apenas 4,3ºC.


A neve em alguns pontos da cidade de Buenos Aires atingiu 15 centímetros e só voltaria a cair com acumulação semelhante em 9 de julho de 2007. Mas não só a capital portenha viu neve naquele grande evento de 100 anos atrás. Nevou igualmente nas províncias de Entre Rios e Santa Fé, e possivelmente no Uruguai. O meteorologista Nacho López Amorín, do Serviço Meteorológico Nacional da Argentina, disse à coluna que há relatos de que tenha nevado em Corrientes, em Paso de los Libres, na área de Uruguaiana.


Foi um inverno rigorosíssimo. Brutal em termos de frio. Desde o começo de junho Buenos Aires registrava sucessivas erupções polares. Em julho de 1918, no dia 9, recorde de frio da capital argentina que segue até hoje: -5,4ºC. Dois dias depois, Porto Alegre tinha -4,0ºC, recorde oficial de mínima da capital gaúcha que igualmente permanece.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

 

Anúncios