Anúncios

Uma nevasca intensa e fortes ventos atingiram o Leste dos Estados Unidos até a madrugada deste domingo durante uma das tempestades de inverno mais severas dos últimos anos que provocou cenas de caos nos transportes e cortes de energia elétrica.

A tempestade de neve, considerada pelas autoridades “potencialmente mortal”, praticamente paralisou a rotina da região Nordeste dos Estados Unidos que tem 70 milhões de habitantes e provocou o cancelamento de quase 4.700 voos neste fim de semana em diversos aeroportos.


Grandes cidades como Nova York e Boston foram as mais afetadas pela tempestade, que o Serviço Meteorológico Nacional (NWS) confirmou que se tornou mais intensa durante o sábado até virar um “ciclone bomba”.

A histórica tempestade de inverno conseguiu igualar o recorde de Boston para a maior queda de neve em um único dia no sábado, com 23,6 polegadas (59,9 cm), de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia. Embora a queda de neve total da tempestade tenha sido de 23,8 polegadas (60,4 cm), 0,2 polegada (0,5 cm) caíram no início da tempestade na sexta-feira.


O NWS já havia alertado que os ventos poderiam alcançar entre 80 e 120 km/h no Nordeste dos Estados Unidos e tornar as condições de viagem “quase impossíveis”. Nova York e o estado vizinho de Nova Jersey, além de Virginia, Maryland e Delaware, declararam emergência total ou parcial.

A rede de metrô da “Big Apple” funcionou de maneira praticamente normal e, como é habitual com o tempo ruim, serviu de abrigo para milhares de sem-teto durante a tempestade. As autoridades recomendaram que os moradores evitassem deslocamentos desnecessários devido aos riscos.

Carros soterrados pela neve em Beacon Hill, em Boston, depois da passagem da tempestade de inverno que igualou o recorde de neve para um dia da cidade do estado de Massachussets | SCOTT EISEN/GETY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Ondas quebram sobre casas à beira-mar em Scituate, Massachusetts, com um ciclone bomba na costa Nordeste dos Estados Unidos | JOSEPH PREZIOSO/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Máquinas que espalham sal e equipamentos para a retirada de neve foram acionadas em Nova York, onde o Central Park registrou 19 centímetros de neve acumulada. As linhas de trens regionais foram parcialmente paralisadas. Em Long Island, ao Sudeste do estado de Nova York, as autoridades informaram que uma mulher foi encontrada morta em seu automóvel por um operador de máquina para a retirada de neve.

O tempo gélido chegou até o sSul do estado turístico da Flórida, onde o NWS advertiu para a “queda de iguanas das árvores”, pois as baixas temperaturas paralisam temporariamente os grandes répteis. Os residentes de cidades da costa Leste foram aconselhados a evitar viagens desnecessárias pela segunda noite devido às condições adversas.

Os governos dos estados de Nova York e Nova Jersey declararam estado de emergência e a prefeita de Boston, Michelle Wu, decretou emergência por causa da neve. Wu pediu no Twitter que os moradores permanecessem afastados das estradas o máximo possível. “Vai ficar muito feio”, disse em entrevista à TV no sábado. “Será uma tempestade histórica”, acrescentou.

O governador de Massachusetts, Charlie Baker, afirmou que a tempestade provocaria “ventos fortes e muita neve” e que as zonas costeiras seriam “atingidas de forma dura”. Também disse que os moradores não devem se deslocar “a menos que seja absolutamente necessário”. O departamento de obras públicas de Boston informou que 900 máquinas para retirada de neve estavam em operação nas ruas da cidade.

Quase 3.500 voos, tanto domésticos quanto internacionais, foram cancelados no sábado nos Estados Unidos, segundo o serviço de rastreamento de voos FlightAware. Outros 1.200 voos programados para este domingo também foram suspensos. A tempestade se segue a outra similar, que cobriu de neve há duas semanas grande parte do Leste da América do Norte, da Geórgia ao Canadá, deixando muitas casas sem energia elétrica e afetando milhares de conexões aéreas.

Anúncios