Anúncios

Frio intenso afeta as iguanas que caem das árvores com as baixas temperaturas no estado norte-americano da Flórida | JOE RAEDLE/GETTY IMAGES/AFP/METSUL METEOROLOGIA

A brutal massa de ar polar ártica de origem siberiana que avança pelos Estados Unidos trará muito frio até o estado da Flórida, mais acostumado com o calor e que costuma escapar da maioria das incursões geladas da América do Norte. São esperadas marcas negativas e geada forte do Centro para o Norte da Flórida.

Em muitas cidades do estado pode ser um dos dias de Natal mais frios ou mesmo o mais frio já registrado, ameaçando os recordes estabelecidos durante os Natais frios de 1989 e 1983. A maior parte do Centro e do Leste da Flórida, onde estão muitas praias e atrações turísticas, experimentará temperaturas próximas ou abaixo de zero com ventos gelados a partir da noite da sexta-feira e continuando no fim de semana.


A máxima prevista para a região da Disney, em Orlando, no domingo, é de apenas 10ºC. Seria o suficiente para ser classificado como um dos Natais mais frios já registrados na cidade e o mais gelado desde a onda polar natalina de 1989.

A máxima no dia de Natal de 1983 atingiu apenas 2ºC em Orlando após uma mínima matinal de 5,5ºC negativos, empatando com o dia mais frio já registrado na cidade em qualquer data. No mesmo 25 de dezembro de 1983 as máximas foram absurdamente baixas em outras áreas da Flórida com apenas 3ºC em Tampa e -2ºC em Jacksonville.


Alerta de queda de iguanas

Quando as temperaturas do Sul da Flórida caem abaixo de 10ºC, o escritório do Serviço Nacional de Meteorologia de Miami emite um aviso exclusivo de “iguanas caindo” na previsão. As iguanas têm sangue frio e, quando as temperaturas caem, os répteis normalmente tropicais acabam afetados. Os avisos de queda de iguanas no fim de semana já se proliferam entre os meteorologistas das tevês da Flórida.

Mas por que as iguanas verdes na Flórida têm uma reação tão dramática ao tempo frio? Sarah Funck, coordenadora do programa de peixes e animais selvagens não nativos da Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida, explicou ao jornal USA TODAY que iguanas não são nativas da Flórida, por isso são incapazes de tolerar temperaturas mais baixas.

“Dependendo da temperatura e da quantidade de tempo que as temperaturas frias são mantidas, as iguanas podem ficar atordoadas ou até mortas. Quando atingimos temperaturas quase congelantes ou congelantes, às vezes elas podem cair das árvores e ficar rígidas no chão”, disse Funck, explicando que o controle muscular dos animais pode ser interrompido nessas temperaturas mais baixas. À medida que as temperaturas esquentam, as criaturas geralmente “se recuperam rapidamente”, disse Funck.

As iguanas verdes são nativas da América do Sul, América Central e Caribe, e chegaram à Flórida por meio do comércio de animais de estimação. Eles foram relatados pela primeira vez no estado na década de 1960, de acordo com a Florida Fish and Wildlife Conservation Commission.

O Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos, por seu escritório de Miami, emitiu aviso no passado de queda de iguanas imobilizadas pelo frio. “As iguanas são de sangue frio. Eles desaceleram ou ficam imóveis quando a temperatura cai para 4ºC ou 5ºC”, disse o Serviço Nacional de Meteorologia. “Elas podem cair das árvores, mas não estão mortas”, destacou.

Em resumo, as baixas temperaturas fazem com que as iguanas verdes entrem em um estado de inatividade física em que seu controle muscular é interrompido temporariamente, o que pode fazer com que caiam das árvores em que estão. Isso não significa que elas estão mortas. Ao contrário, podem se recuperar rapidamente quando as temperaturas sobem.

Anúncios