Anúncios

Uma frente fria vai avançar entre hoje e amanhã pelos três estados do Sul do Brasil, colocando fim à onda de calor de duas semanas que trouxe marcar recordes. O sistema frontal trará chuva no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e no Paraná com risco alto de temporais em algumas cidades, repetindo o que ocorreu nos últimos dias que tiveram tempestades – algumas severas – em diversas localidades.


O mapa acima mostra a projeção de chuva do modelo WRF da MetSul, disponível ao assinante na seção de mapas com duas atualizações diárias, até 9h da sexta-feira. Observa-se a tendência de a chuva ser muito irregular no Sul do país.

Atente como o mapa está extremamente “manchado” com enorme número de pontos isolados em que os volumes são muito altos e outros tantos, próximos, em que os acumulados de precipitação são baixos ou nulos.


Isso significa que a chuva na passagem desta frente fria vai ser muito irregular e com uma enorme variabilidade de volume. Dentro de uma mesma região haverá cidades em que pode chover muito e outras com acumulados baixos. Estes volumes altos localizados devem acompanhar principalmente temporais.

SAIBA MAIS: Onda de calor chegará ao fim com temporais no Sul do Brasil 

Ressalvamos que modelo é uma ferramenta de previsão por computador e não prognóstico final que tem intervenção de meteorologista, portanto é muito possível que alguns locais do Rio Grande do Sul que o WRF nada indica de chuva (em branco no mapa) venham a registrar sim precipitação e que os acumulados sejam superiores ou muito superiores ao indicado pelo modelo para locais em que indica menos de 15 mm (em azul).

Sobressai no mapa a tendência de esta frente fria trazer mais chuva para Santa Catarina e o Paraná que no estado gaúcho. O Paraná, em especial, deve registrar chuva volumosa em muitos pontos com a chegada e a atuação do sistema frontal. Volumes altos a muito altos devem ser esperados no território paranaense com acumulados excessivos em diversas localidades.

Projeção de chuva para quinta (27) do modelo meteorológico alemão Icon

Projeção de chuva para sexta (28) do modelo meteorológico alemão Icon

Serão vários dias seguidos com chuva no Paraná, uma vez que o sistema deve ficar estacionário, o que deve levar a volumes acima de 100 mm em muitos municípios paranaenses com acumulados em algumas cidades até perto ou acima de 200 mm, e isoladamente com marcas de 250 mm ou 300 mm ou mais, o que pode trazer alagamentos, inundações e subida de rios.

No Rio Grande do Sul, a chuva atinge já alguns pontos nesta manhã mais ao Sul e alcança a maioria das regiões da tarde para a noite. Amanhã, quinta, a instabilidade se concentra mais na Metade Norte enquanto pelo Oeste e o Sul o tempo deve melhorar com ingresso de ar mais seco e frio.

Os volumes de chuva na Metade Norte na quinta podem ser localmente elevados e não se descarta chuva forte em regiões como o Planalto Médio, os vales, o Alto Jacuí, Missões, Noroeste e talvez até na Grande Porto Alegre. O modelo meteorológico europeu em repetidas saídas vem indicado o risco de chuva forte para a região metropolitana da capital gaúcha.

A chuva desta frente fria não vai significar o fim da estiagem no Rio Grande do Sul porque não será um único sistema meteorológico que compensará o déficit de precipitação acumulado por meses, mas espera-se pelo menos um relativo alívio em diversas cidades.

A região que vai ser mais beneficiada e onde a chuva deve colocar fim à fase mais aguda da estiagem, ao menos por enquanto, é o estado do Paraná que terá chuva muito volumosa em grande número de municípios. (Com foto de capa de Ana Luísa Weigert/Arquivo)

Anúncios