Anúncios

O Natal de 2022 é quente no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, mas há exatos dez anos o que enfrentou foi para a história: o Natal mais quente de todos os tempos. Jamais como em 2012 se enfrentou um dia 25 de dezembro tão quente com marcas extremas de temperatura máxima que superaram os 40ºC em diversas cidades.

O dia de Natal já comeõu com uma madrugada atipicamente quente na capital. A mínima do dia 25 de dezembro de 2012 em Porto Alegre foi de 27,3ºC, uma das mais altas já registradas para qualquer dia do ano na série histórica que se iniciou em 1910, mas que ficou abaixo do recorde centenário de 27,9ºC de 2010.


A máxima oficial daquele Natal tórrido em Porto Alegre de 2012 na estação convencional do Instituto Nacional de Meteorologia, no bairro Jardim Botânico, de 39,8ºC por pouco não alcançou 40ºC, o que raramente acontece na capital gaúcha.

Nunca houve véspera de Natal e um Natal tão quentes em Porto Alegre e na região metropolitana, segundo pesquisa da MetSul Meteorologia. A máxima do dia de Natal de 2012 em Campo Bom naquele momento foi a mais alta desde 10 de janeiro de 2006 na cidade, quando fez 41,6ºC.


A véspera de Natal já tinha sido escaldante e o calor aumentou ainda mais no dia de Natal com mínimas muito altas em algumas localidades e que favoreceram as máximas extremas durante o período da tarde.

Os jornais do dia seguinte deram amplo espaço ao noticiário do calor. Em Porto Alegre, com uma tarde de 40ºC, muitas pessoas enfrentavam falta de água. Na orla do Guaíba, mesmo com as águas impróprias para banho e risco de afogamento junto ao Centro, pessoas se banhavam para se refrescar.

Espantoso calor se registrou na orla, onde, em regra, é menos quente. A atuação de corrente de jato em baixos níveis, um corredor de vento com ar seco e quente, se concentrou sobre o Nordeste gaúcho e o Sul de Santa Catarina, o que trouxe marcas excepcionalmente elevadas para a Grande Porto Alegre, Serra, Litoral Norte e o Sul Catarinense.

Por efeito do que se denomina de aquecimento adiabático, com o vento Oeste seco e quente descendo dos morros em direção às planícies do litoral, o que gera compressão e processo de superaquecimento, as máximas na costa foram absurdamente altas para a climatologia local.

Em Torres, no Litoral Norte gaúcho, a temperatura disparou em uma hora de 29ºC para 41ºC. A máxima foi de 41,4ºC. Santa Catarina foi um forno também com 43,8ºC em Criciúma, 43,4ºC em Tubarão e 42,1ºC em Urussanga.

Anúncios