Neve marca o começo desta sexta-feira nas áreas de maior altitude do Sul do Brasil depois de dias de enorme instabilidade na região com chuva extrema e inundações, tornados, ciclone com vento de quase 160 km/h e muitos estragos e vítimas. O registro da neve ocorre nos picos do Planalto Sul de Santa Catarina, região mais propícia para precipitação invernal no Brasil.

Vídeos recebidos pela MetSul Meteorologia mostram que nevou fraco durante grande parte da madrugada desta sexta-feira no distrito do Cruzeiro, situado a mais de 1.500 metros de altitude, no interior de São Joaquim, no Planalto Sul Catarinense.

Trata-se do segundo episódio de neve deste ano na região. Em abril, em evento raro pela sua enorme precocidade, a neve também caiu em diferentes pontos do Planalto Sul, como em Bom Jardim da Serra e São Joaquim.


Já na noite de quinta-feira ocorriam os primeiros registros de precipitação invernal na forma de chuva congelada na região com observação do fenômeno em Urubici. Com o passar das horas e um resfriamento maior da atmosfera, a precipitação se converteu em neve.

Por que nevou? A MetSul Meteorologia havia antecipado a possibilidade de neve nas áreas de maior altitude entre os Aparados da Serra do Rio Grande do Sul e o Planalto Sul. Efeito da interação da massa de ar frio impulsionada pelo ciclone no Atlântico e que ingressa pelo Norte da Argentina, a partir de uma alta polar continental, com a umidade da circulação ciclônica que se origina da costa.


O momento máximo de resfriamento em altitude, no ponto que se forma a neve, era previsto para a madrugada de hoje, assim que nas próximas horas a chance de neve diminui drasticamente à medida que a temperatura em altitude sobe e diminui a circulação de umidade.

Ontem, durante o dia, à medida que a atmosfera se resfriava mais fortemente em altitude com o ingresso de ar p0lar e persistia a instabilidade do ciclone, precipitação muito fraca de grãos de gelo foi observada em pontos do município de São Joaquim.