Anúncios

A Flórida pode não ter um Natal branco, mas chegou perto, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos pelo seu escritório de Melbourne. O serviço meteorológico confirmou que flocos de neve parcialmente derretidos e que congelam com a chuva conhecidos como graupel ou snow pellets (neve granular) caíram junto com chuva congelada (sleet).


Os fenômenos foram observados na manhã deste domingo perto das áreas de Rockledge, Viera e Merritt Island, no condado de Brevard. Segundo a agência meteorológica, o graupel pode se acumular no solo e parecer neve em flocos.

Vídeos postados nas redes sociais mostram pelotas de gelo caindo em áreas residenciais enquanto partes do condado estavam sob observação de congelamento. No amanhecer, a temperatura era de -2ºC em Daytona Beach, 30 em Leesburg, -2ºC em Sanford, -1ºC em Orlando, 1ºC em Melbourne, 2ºC em Vero Beach e 2,5ºC em Fort Pierce.

Mas pode ter nevado com flocos. Meteorologistas do estado da Flórida reproduziram alguns vídeos da área de Cabo Canaveral, ao Leste de Orlando, que parece mostrar flocos de neve caindo misturado à chuva congelada.

A Flórida não era o estado norte-americano mais frio do país neste domingo, mas era o que a temperatura estava mais abaixo da média. Até 15h, hora local, a temperatura não havia superado 10ºC e o dia se candidatava a ser o Natal mais frio ou o segundo mais frio da história em Miami.

A tempestade de inverno mais rigorosa em décadas nos Estados Unidos deixou 26 mortos e milhares de lares sem eletricidade após quatro dias de ventos polares e muita neve. O tempo extremo com nevascas e temperaturas de até -48ºC levou ao cancelamento de milhares de voos e deixou estradas intransitáveis neste fim de ano.

O condado de Erie, no Noroeste do estado de Nova York, foi particularmente afetado. Sete pessoas morreram no local devido à tempestade, segundo Mark Poloncarz, seu representante. Algumas vítimas foram encontradas em carros e outras na rua, em meio à neve. “É horrível, uma catástrofe”, comentou Poloncarz.

Autoridades norte-americanas confirmaram 26 mortos em oito estados devido à tempestade rara que atinge o país desde a noite de quarta-feira. Algumas ocorreram em estradas, devido ao asfalto congelado e à visibilidade ruim.

Uma proibição de viajar pela região está em vigor desde a última sexta-feira, mas centenas de pessoas ainda estavam retidas em seus veículos. Para resgatá-las, a governadora de Nova York, Kathy Hochul, mobilizou a Guarda Nacional no condado de Erie e na cidade de Buffalo, onde os serviços de emergência estavam praticamente paralisados.

O fornecimento de energia não será restabelecido por completo em Buffalo até amanhã, alertou Poloncarz, que pediu aos moradores que não saiam de casa, uma vez que as estradas permanecem intransitáveis. “Os ventos são tão fortes que a neve forma dunas de areia. É uma loucura”, comentou ontem Ali Lawson, 34, que mora em Buffalo há oito anos.

Quase 1,7 milhão de clientes em todo o país ficaram sem eletricidade no fim de semana, segundo o site Poweroutage.us. Por volta das 15h hoje, cerca de 153 mil clientes permaneciam sem luz. Os estados mais afetados eram Maine, Nova York, Virgínia, Washington e Vermont.

Segundo o NWS, as temperaturas no Centro e Leste dos Estados Unidos devem voltar “aos padrões da estação em meados da semana”. O tráfego aéreo melhorava gradualmente, com quase 1,5 mil voos cancelados hoje e 3,4 mil na véspera, segundo o FlightAware.com. Para muitos viajantes, o pesadelo continuava nos aeroportos de Atlanta, Chicago, Denver, Detroit, Minneapolis e Nova York.

Anúncios