Anúncios

A MetSul Meteorologia alerta para um novo episódio de forte instabilidade no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira. Hoje, da tarde para a noite, já não se pode afastar chuva ou ocasionais temporais isolados nas Metades Oeste e Norte, entretanto deve ser durante a madrugada desta quinta-feira que a instabilidade deve “explodir” sobre o Estado. O Sul e o Leste do Estado começaram esta quarta com ar frio, a ponto de Livramento ter tido apenas 9,6ºC em pleno dezembro na madrugada de hoje, mas ar muito quente toma conta de todo o Rio Grande do Sul durante o dia e a tarde será quente e a noite abafada. Ocorre que ar frio volta a avançar de Sul e dá origem a um processo de frontegênese (formação de frente fria) com possibilidade de formação de sistemas convectivos de mesoescala. Por isso, a MetSul considera alto o risco de chuva localmente forte a intensa com elevados volumes localizados (perto de 100 mm em poucas horas), e ainda de temporais isolados de vento e granizo nesta quinta-feira. O risco é maior para o Centro, Oeste e Norte do Rio Grande do Sul. Não se pode afastar temporal na região de Porto Alegre e área metropolitana, apesar da ameaça ser maior para o interior do Estado.



Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas


Temporal com chuva forte, rajadas de vento e granizo atingiu Porto Alegre no começo da tarde de ontem (foto acima de Fernando Mainar). A instabilidade, que também afetou a região metropolitana e outros pontos do Leste e o Nordeste do Estado, foi provocada pela passagem de uma frente fria pela costa que ativou a instabilidade sobre o Leste gaúcho com chuva localmente forte e temporais, o que era antecipado pela MetSul. A grande nuvem que gerou o temporal que atingiu Porto Alegre com chuva forte e granizo se formou sobre a Capital. Imagem do radar meteorológico mostrou que a instabilidade foi muito localizada, tendo avançando depois para o Litoral Norte e a área mais ao Leste da Serra, onde também houve granizo. O ar mais frio na retaguarda da frente ao encontrar a atmosfera mais aquecida na região da Capital provocou a formação da nuvem de temporal, mesma dinâmica que gerou os temporais severos e destrutivos que atingiram Buenos Aires na segunda.

Anúncios