Anúncios

Uma massa de ar frio avançou pela Argentina nas últimas horas e ingressa no Sul do Brasil entre hoje (15) e amanhã (16), trazendo vento com rajadas por vezes fortes e ainda queda de temperatura, sobretudo no Rio Grande do Sul.


Esta massa de ar frio é forte para a metade do mês de outubro e chegou na última noite a provocar neve nas serras da província argentina de Córdoba, na parte central do país vizinho, o que não é comum nesta época do ano. Ontem, a neve já havia caído em Bariloche, no Sul argentino.

A incursão de ar frio avançou com fortes rajadas de vento em sua chegada da Patagônia até o Centro da Argentina com rajadas de até 80 km/h em diversas províncias argentinas, trazendo tempestades de areia em algumas localidades. Na cidade de Buenos Aires, as rajadas ontem chegaram a 68 km/h. Ezeiza teve 65 km/h. Em Rosário, o aeroporto local reportou vento de 83 km/h e poeira levantada pelo vento.

A temperatura desabou a com a massa de ar frio. A temperatura mínima hoje no Aeroporto de Ezeiza foi de 6,5ºc, entretanto estações no interior da província de Buenos Aires registraram marcas perto de 0ºC. As madrugadas mais frias na região, porém, ocorrerão nos próximos dias com menos vento e tempo aberto com ar seco.

Frio no Rio Grande do Sul

O ar mais frio começa a ingressar no Rio Grande do Sul nesta sexta-feira, especialmente entre a tarde e a noite de hoje, e o dia terminará com temperatura baixa para esta época do ano em cidades da fronteira com o Uruguai, da Campanha, do Sul gaúcho e mesmo da Serra, onde o ar frio chega com maior força no começo do sábado. Bagé, por exemplo, pode ter 11ºC na noite de hoje. A maioria das cidades gaúcha terá suas mínimas desta sexta hoje no fim do dia.

O ar frio ingressa com rajadas de vento que sopram por vezes fortes pela troca de massas de ar. O ar quente e de baixa pressão atmosférica é substituído pelo ar mais frio de alta pressão. Por isso, o tempo estará ventoso em diversas regiões do Rio Grande do Sul entre a tarde e a noite desta sexta.

Porto Alegre já começou a observar vento por vezes moderado e terá rajadas agora na segunda metade do dia. No geral, as rajadas no território gaúcho devem ficar entre 40 km/h e 50 km/h, mas haverá pontos com 50 km/h a 70 km/h no restante do dia de hoje.

O ar frio vai garantir uma longa sequências de dias de temperatura abaixo da média da época do ano no estado gaúcho. Ao menos até a metade da próxima semana devem ser esperadas madrugadas frias para a metade de outubro e tardes de temperatura amena a agradável.

O Sul gaúcho, a Campanha e a fronteira com o Uruguai podem ter mínima de um dígito (abaixo dos 10ºC) todos os dias até o sábado (23) da próxima semana. Nas madrugadas mais frias, no começo da semana que vem, as mínimas podem descer a 3ºC ou 4ºC com marcas ainda mais baixas na Serra do Sudeste.

A presença de muitas nuvens e até instabilidade deve impedir uma queda maior das mínimas durante as noites deste fim de semana na região mais fria do Rio Grande do Sul, ou seja, os Aparados da Serra. Mesmo assim a sensação será de frio na região. Mínimas mais baixas vão ocorrer na próxima semana com a atuação de ar mais seco e menor cobertura de nuvens.

Na Grande Porto Alegre, igualmente são esperadas mínimas de um dígito, especialmente nas madrugadas de segunda e quarta da semana que vem que serão as mais frias da semana. Pode fazer até 7ºC ou 8ºC em alguns pontos. Na capital, as noites mais frias devem ter mínima de 8ºC a 10ºC.

Geada tardia com o frio

Esta massa de ar frio deve traze geada no Sul do Brasil, mas os produtores das principais áreas agrícolas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina não devem ter maiores temores. O risco de geada será mais limitado e não deve alcançar zonas de produção como as Missões e Noroeste, tampouco o Centro do estado. A exceção pode ser na região de Soledade, em baixadas.

Os mapas acima mostram as projeções de geada do modelo canadense, disponível para nosso assinante na seção de mapas, em que se observa haver uma probabilidade de gear semana que vem em pontos da fronteira com o Uruguai e entre os Aparados da Serra e do Planalto Sul Catarinense. Mesmo que o modelo não aponte, pode gear em baixadas da Serra do Sudeste.

A geada deve ser fraca e localizada nestas regiões, não se projetando o fenômeno de forma ampla. Com isso, a perspectiva é que se concentre em áreas de baixadas e de fundos de vale – no caso de serras – destas regiões que apresentam uma maior probabilidade de gear, segundo as simulações computadorizadas.


Ar frio vai alcançar o Centro do Brasil

A massa de ar frio vai alcançar o Centro-Oeste e o Sudeste, mas não deve ser esperado frio. A temperatura declina, mas a principal consequência será chuva. Os maiores volumes de chuva vão ocorrer em Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais com a incursão fria atuando no Mato Grosso do Sul e São Paulo.

A cidade de São Paulo deve ter predomínio de nuvens e chuva, que em alguns momentos pode ser moderada a forte, até segunda-feira. Hoje, soma-se o risco de temporal. A cidade do Rio de Janeiro registrará abundante nebulosidade e chuva, por vezes isoladamente forte, de amanhã até terça. As máximas ficam muito mais baixas e o tempo estará ventoso com rajadas fortes em alguns momentos.

Anúncios