Anúncios

Uma das maiores manchas solares em anos está chamando a atenção dos astrônomos. A mancha solar AR2871 já provocou uma série de chamas solares desde que apareceu. Esta mancha, se mantiver íntegra, ficará voltada para a Terra pelas próximas duas semanas enquanto gira em torno da face do Sol, com um período de sustentado de atividade solar aumentada.


O agrupamento de manchas solares está no Sudeste do Sol. Pelo menos três núcleos escuros do tamanho da Terra foram registrados pelo Observatório Solar Dynamics da NASA. A polaridade do grupo de manchas solares indica que faz parte do novo Ciclo Solar 25 recém iniciado, afinal quase todas as manchas solares neste ano pertenceram ao novo ciclo.

A mancha solar já produziu pequenas erupções solar de classe C. Um pulso de radiação ultravioleta e de raios-X da mais forte erupção solar até agora ionizou brevemente a alta atmosfera da Terra, causando um rápido blecaute de rádio de baixa frequência sobre o Oceano Pacífico e a Austrália. Navegantes e operadores de rádio amador na área podem ter notado efeitos de propagação incomuns em frequências abaixo de 10 MHz.


Segundo o astrônomo da NASA Tony Phillips, novas erupções solares são possíveis e até mais fortes que as registradas até agora de classe M. Esta atividade solar aumentada, em princípio, não representa risco para quem está na superfície terrestre. Apenas uma explosão solar de tipo X de enorme intensidade poderia causar efeitos adversos em sistemas elétricos, como se viu em Quebec, no Canadá, na tempestade solar de 1989.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Anúncios