Anúncios

JUSTIN SULLIVAN/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/AFP/METSUL METEOROLOGIA

Dezenas de pessoas ficaram feridas quando um voo da Hawaiian Airlines, de Phoenix para Honolulu, sofreu forte turbulência no domingo, disseram autoridades. Um total de 36 pessoas precisaram de atendimento médico e 11 ficaram em estado grave, de acordo com o diretor do Honolulu Emergency Medical Services.

Os pacientes sofreram cortes, inchaços e contusões, incluindo ferimentos na cabeça, enquanto alguns sofreram náuseas e vômitos devido ao voo turbulento. Pelo menos uma pessoa perdeu a consciência, disse o diretor médico, Jim Ireland. Três comissários de bordo estavam entre os feridos levados para hospitais. Havia 10 tripulantes a bordo e uma cabine cheia de 278 passageiros.


O COO da Hawaiian Airlines, Jon Snook, disse que a turbulência extrema foi uma anomalia isolada. A companhia aérea não viu “um incidente dessa natureza na história recente”, disse ele.

“Também estamos muito felizes e nos sentimos afortunados por não haver mortes ou outros ferimentos graves. E também temos muita esperança de que todos se recuperem e tenham uma recuperação completa”, disse Ireland.


O sinal de cinto de segurança estava aceso no momento da turbulência severa, mas nem todos os passageiros estavam com os seus apertados. Uma passageira, Kaylee Reyes, que estava voando com sua mãe, disse que ela havia acabado de se sentar depois de usar o banheiro e não teve chance de afivelar o cinto de segurança quando a turbulência começou.

Um aviso de tempestade estava em vigor em áreas como Oahu, informou Thomas Vaughan, meteorologista do posto avançado de Honolulu do Serviço Nacional de Meteorologia. Ele disse que a companhia aérea estava ciente do aviso, mas o trecho onde o voo ficou passou pela turbulência severa não mostrava nenhum aviso de perigo.

O fenômeno pode ter sido um exemplo de “turbulência de ar claro” que ocorre em nuvens Cirrus ou, às vezes, em céu limpo perto de tempestades, e não nas próprias tempestades. As diferenças de temperatura e pressão criam poderosas correntes de ar em movimento rápido, tornando a turbulência de céu claro (clear air turbulence) o tipo mais perigoso.

O voo começou a descer imediatamente após a turbulência e a tripulação declarou uma emergência, alertando o controle em terra que havia vários feridos a bordo. Os controladores de tráfego aéreo abriram caminho para o avião, dando prioridade ao pouso.

A turbulência, que é o movimento do ar que geralmente ocorre inesperadamente e não pode ser vista, pode ser criada por várias condições, incluindo frentes frias ou quentes, tempestades e correntes de jato.

Cerca de 58 pessoas nos Estados Unidos são feridas a cada ano por turbulência enquanto não usam o cinto de segurança, de acordo com a Federal Aviation Administration. De 1980 a 2008, o último ano em que o governo divulgou dados em seu site, as transportadoras aéreas americanas tiveram 234 incidentes de turbulência que resultaram em 298 feridos graves e três mortos.

Em outro episódio, cinco pessoas ficaram feridas após turbulência em voo que partiu do Rio de Janeiro, na noite do domingo, em direção aos Estados Unidos. As vítimas, sendo dois passageiros e três tripulantes, tiveram de ser levados para um hospital depois do desembarque.

Em matéria divulgada no site da CNN Internacional, a companhia aérea United Airlines, responsável pelo voo, esclareceu que a turbulência ocorreu de forma inesperada no momento em que o avião passava por Cancun, no México.

Anúncios