Anúncios

O episódio do fenômeno La Niña que teve  no final do inverno do ano passado chegou ao fim agora no começo do outono. A avaliação é do Bureau de Meteorologia (BoM) da Austrália. O centro meteorológico australiano é um dos principais do mundo no monitoramento dos fenômenos no Pacífico Equatorial.


Com efeito, os meteorologistas australianos destacam em sua análise que o comportamento da atmosfera no Pacífico Equatorial apresenta hoje “indicadores que retornaram aos níveis de neutralidade”. De acordo com o último informe do órgão, a “agulha” de monitoramento passou para “inativo”, ou seja, sem El Niño ou La Niña.

A análise do Bureau de Meteorologia da Austrália destaca que os modelos sugerem que o Pacífico deve seguir em neutralidade ao menos até o inverno. A avaliação é que tanto as águas superficiais como as abaixo da superfície estão em valores próximos da média.

O órgão ressalta ainda que os indicadores atmosféricos, em geral, condizem com um quadro de neutralidade. Apenas o padrão de nebulosidade perto da linha internacional da data ainda apresenta sinais de La Niña, diz o BoM. O Índice de Oscilação do Sul, a chamada SOI, está perto de zero. Já o regime de ventos na faixa equatorial hoje é mais fruto da Oscilação de Madden-Julian, explica o serviço australiano.

NOAA mantém La Niña

A Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos sustenta ainda a continuidade do evento de La Niña que teve início em agosto.

Por quê?

É simples. Os americanos e australianos adotam critérios diferentes de anomalia de temperatura do mar para indicar se há El Niño ou La Niña.

Com efeito, a NOAA dos Estados Unidos considera anomalias de -0,5ºC ou +0,5ºC. Os australianos usam o patamar de -0,8ºC ou +0,8ºC, conforme La Niña ou El Niño. Portanto, as réguas são distintas. Os australianos, assim, usam um patamar mais alto de anomalia.

Então, o último boletim norte-americano que informou a presença ainda da La Niña apontou um leve resfriamento das águas nos últimos dias.

O boletim semanal da NOAA divulgado na segunda-feira apontou uma anomalia da temperatura da superfície do mar de -0,6ºC no Pacífico Equatorial Central (região Niño 3.4). Por sua vez, a anomalia no Pacífico Leste (região Niño 1+2) foi de -0,9ºC, um resfriamento expressivo na comparação com a semana anterior.


A NOAA afirma que o padrão atmosférico segue sendo de La Niña no Pacífico. Por fim, a agência dos Estados Unidos avalia como sendo de 60% a probabilidade do Pacífico evoluir para neutro no decorrer deste outono.

Anúncios