Anúncios

O primeiro dia do inverno de 2014 no Rio Grande do Sul começou marcado por frio intenso, típico da estação. As mínimas não foram tão baixas como nos dias anteriores, mas seguiram abaixo de zero em algumas regiões. Foi o décimo dia com registro de mínimas negativas no Estado em 2014. Mais uma vez geou, inclusive forte, em diversas regiões gaúchas. Fez mais frio, por exemolo, em algumas cidades do Sul, caso de Pelotas que teve somente 1,4ºC, que em algumas localidades serranas.



O inverno começou oficialmente neste sábado às 7h51m, mas, do ponto de vista climático, já teve início antes. Desde o fim de maio o Rio Grande do Sul registra maior frequência de dias de frio. Foram 9 dias com mínimas negativas no Estado durante o outono. A nova estação se inicia com o Pacífico Equatorial nos estágios iniciais de episódio de El Niño que se intensifica no decorrer da estação. Nos últimos houve  enorme aumento das anomalias de temperatura da superfície do mar no Pacífico Equatorial e hoje está perfeitamente configurada a “língua” de águas mais quentes que a média típica de El Niño (imagem abaixo). De acordo com o prognóstico da MetSul, o inverno neste ano não deve ser tão rigoroso como o do ano passado com uma maior frequência de dias amenos e alguns até quentes. Jornadas de calor são normais na estação fria e costumam ocorrer na presença de vento Norte que pode ter rajadas fortes sob influência de correntes de jato de baixos níveis, especialmente em agosto e setembro. Mas que ninguém se engane, porque teremos alguns dias e períodos com temperatura bastante baixa, marcas negativas e geada. Já a neve pode ser prevista somente no curto prazo, mas pela história estatisticamente é muito raro ver dois anos seguidos com nevadas nas proporções espetaculares vistas em 2013.



Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

O outono de chuva teve extremos de chuva concentrados em Santa Catarina e no Paraná com grandes enchentes, mas neste inverno a tendência é de aumento da chuva no Rio Grande do Sul. A maioria das regiões deve ter precipitação acima da média, especialmente nas Metades Oeste e Norte do Estado. Alerta-se para o risco de episódios pontuais de chuva em volumes excessivos, o que pode trazer transtornos e cheias de rios. Em 2009, primeiro ano do último evento de El Niño, agosto e setembro foram muito chuvosos com um elevado número de dias de chuva.  A MetSul alerta ainda que a transição de períodos amenos ou quentes para frios no inverno pode se dar bruscamente com alto risco de tempo severo na forma de temporais com vento forte e granizo, especialmente em frentes frias associadas a intensos ciclones. O Rio Grande do Sul tem um histórico de graves eventos de tempo severo no inverno, até com tornados F3. O Estado está sujeito ainda no inverno a dias de vento muito forte, acima de 100 km/h com ressaca no mar, quando da atuação de ciclones extratropicais intensos.  

Anúncios