Anúncios

O período de festas, marcado pela última semana do ano e a primeira do ano novo, pelos padrões históricos costuma ser um período propício a episódios de temporais de verão. Uma análise da climatologia regional mostra que na maioria dos anos neste período são registrados alguns temporais com aguaceiros e alagamentos, não raro acompanhados de muitos raios ou vento forte. Neste ano, por exemplo, no dia 3 de janeiro, Montevidéu foi assolada por um vendaval com rajadas de até 160 km/h com centenas de árvores caídas e outros danos na capital uruguaia. No dia seguinte, tempestades com chuva torrencial provocou dezenas de pontos de alagamentos em Porto Alegre e na área metropolitana. Em 2013, a festa de Réveillon na Usina do Gasômetro foi interrompida por vendaval que deixou feridos.


Guilherme Testa/Correio do Povo

 


As ocorrências de tempo severo no período de festas coincidem com o comportamento das massas de ar em nossa região. Todos os episódios de temporais se deram a partir do ingresso de ar muito quente com umidade alta. O final de dezembro e a primeira metade de janeiro costumam ter incursões de ar muito quente trazido por correntes de vento de Norte, o que acaba por favorecer essas ocorrências, em regra localizadas, de temporais. Dias muito quentes, com máximas entre 35ºC e 40ºC, são particularmente de alto risco para tempestades de verão.

Anúncios