Anúncios

Sucessivas ondas polares de enorme intensidade, como a que recém afetou o Brasil na semana e a MetSul alerta voltará a alcançar o território brasileiro com ainda mais força na próxima semana, atingem países do Hemisfério Sul neste final de mês de julho, quebrando recordes históricos de frio de décadas. Um verdadeiro “trem” de ondas longas na atmosfera está levando potentes massas de ar muito gelado para as latitudes médias da América do Sul, África e Oceania.


Na África do Sul, por exemplo, nada menos que 19 estações meteorológicas oficiais do país do South Africa Weather Service (SAWS) quebraram hoje recordes de frio para julho, de menor mínima e menor máxima. Em algumas estações, as mínimas de hoje foram as mais baixas para julho em mais de meio século com marcas não vistas em seis décadas.

A estação do Aeroporto Internacional Oliver Tambo, de Johanesburgo, registrou durante o começo desta sexta-feira a menor temperatura mínima para o mês de julho de toda a sua série histórica de 61 anos. Os termômetros no aeroporto indicaram 7,0ºC abaixo de zero. Com isso, caiu recorde de mínima de julho da estação que era 6,3ºC negativos em 19 de julho de 1995.

Recordes de frio para julho registrados hoje na África do Sul | South Africa Weather Service

Outra estação com série histórica longa da África do Sul que teve recorde de mínima para julho no dia de hoje foi a de Warmbad Towomba, que igualmente possui dados por 61 anos. A mínima foi de 5,6ºC negativos, superando o recorde de 5,5ºC negativos do dia 6 de julho de 1964. A estação de Kimberley, outra com 61 anos de observações, registrou a menor mínima de sua série com 9,9ºC abaixo de zero, batendo o recorde prévio de julho de 8,1ºC negativos em 21 de julho de 2000.

Frio recorde na África do Sul e ondas de frio no Brasil

O mesmo padrão de ondas longas de alta pressão atmosférica que favorece ondas de frio extremo no Brasil pode produzir dias depois frio muito intenso na África do Sul, uma vez que estas ondas se movem de Oeste para Leste. Os recordes de frio de hoje na Austrália ocorrem dias depois de algumas cidades do estado de São Paulo terem registrado as suas menores mínima para qualquer época do ano em 10 a 15 anos.

Uma onda longa (com ar polar) hoje no Pacífico, outra no meio do Atlântico Sul, uma terceira no Sul da África e uma quarta na Austrália com a ondulação das correntes de jato que atuam com muito maior intensidade no Hemisfério Sul que no Norte nesta época do ano| Climate Reanalyzer

Chama atenção na estatística histórica de quebras de recordes para julho ocorridas hoje cedo e divulgada pelo Serviço de Meteorologia da África do Sul como os anos prévios de recordes de frio derrubados hoje tiveram eventos de frio muito intenso no Sul do Brasil, casos de 1964, 1995 e 2000.

Os recordes derrubados hoje para julho e que anteriormente era do ano passado na África do Sul tinham ocorrido em algumas estações do país entre 12 e 18 de julho de 2000. Este período quase coincide com uma potente onda de frio no Sul do Brasil que trouxe marcas abaixo de 5ºC em Porto Alegre nos dias 3, 4, 10, 14 e 15 de julho de 2020.

No caso da onda de frio de 2000, o recorde – hoje derrubado – na estação sul-africana de Kimberley se deu em 21 de julho de 2000. O ar polar que provocou a grande onda de frio de julho de 2000 no Brasil ingressou no Sul do Brasil entre o final da primeira e o início da segunda semana de julho, logo cerca de dez dias antes da data do agora ex-recorde de Kimberley.

A estação de Warmbad Towoomba teve hoje o recorde quebrado para julho que era de 6 de julho de 1964. Naquele mês, em Porto Alegre, foram cinco dias com temperatura abaixo de 5ºC: 10, 19, 20, 21 e 28. Vários dias no mês tiveram marcas entre 5ºC e 6ºC na capital gaúcha.

Frio na Austrália

Uma onda polar também atinge o Sul da Austrália enquanto o Norte do país experimenta recordes de calor. Os aeroportos de Adelaide e Parafield tiveram recordes de menor temperatura máxima que não superaram 10ºC. As estações, entretanto, não operavam na grande onda de frio de 1951. Adelaide não tinha tanto frio desde 1986.


A estação de Toowoomba, em Queensland, teve a sua menor mínima em 17 anos para julho e a menor marca para qualquer mês desde 2009. A estação próxima na cidade de Oakley registrou a mínima do estado australiano com -4,4ºC.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

O BoM (Bureau de Meteorologia da Austrália) emitiu alertas de tempestade de neve com vento e quase zero visibilidade para o Sudeste da Austrália, incluindo partes de Victoria e New South Wales, neste fim de semana com a passagem de duas frentes frias pela região. Deve nevar até em áreas de baixa altitude de Victoria. Os ventos podem ficar perto de 100 km/h neste sábado com avisos de mar grosso para a costa da Tasmânia. E vem ainda muito frio na virada do mês.

Anúncios