Anúncios

Grandes enchentes castigam o Meio-Oeste dos Estados Unidos. A cheia do rio Mississippi testou as defesas contra inundações no Sudeste de Iowa e no Noroeste de Illinois. O grande volume de água decorre de chuva e do derretimento da neve que se precipitou durante o inverno,

Os níveis máximos do rio nesta primavera provavelmente estarão entre os dez mais altos de todos os tempos em muitos lugares, mas o Serviço Nacional de Meteorologia disse que os níveis dos rios geralmente permanecerão bem abaixo dos recordes anteriores.


Isso deve ajudar a maioria das cidades ao longo do rio Mississippi a resistir às enchentes, embora as autoridades planejem verificar rotineiramente o estado de seus diques e barreiras de sacos de areia nos próximos dias.

Funcionários das cidades ao longo do rio disseram estar otimistas de que escaparão das graves inundações este ano, graças à melhoria dos diques contra inundações e outras medidas de prevenção. “O plano de todos ao longo do rio foi posto à prova”, disse o hidrologista do Serviço Nacional de Meteorologia, Matt Wilson, do escritório de Quad-Cities.


Dos pequenos rompimentos de diques foram relatados no fim de semana perto de uma reserva natural de vida selvagem ao Sul de Bellevue e Camanche, estado de Iowa, o que cobriu algumas ruas com água.

O rio atingiu o pico na área de Dubuque no sábado com 7 metros), bem abaixo do recorde de 7,8 metros, mas as autoridades ficaram gratas por ter o dique contra inundações que a cidade construiu há 50 anos. Sem o muro de contenção, a cidade enfrentaria problemas significativos.

A enchente do rio Mississippi inunda a zona ribeirinha do centro da cidade em Davenport, estado de Iowa, no Meio-Oeste dos Estados Unidos | SCOTT OLSON/AFP/GETTY IMAGES/METSUL METEOROLOGIA

O Serviço Nacional de Meteorologia informou que o rio atingiu o pico da cheia, mas espera-se que permaneça em estágio de grande inundação em Davenport até a próxima semana | SCOTT OLSON/AFP/GETTY IMAGES/METSUL METEOROLOGIA

Enchente bloqueou ruas e estradas em Iowa e Illinois sem deixar vítimas nas áreas alagadas | SCOTT OLSON/AFP/GETTY IMAGES/METSUL METEOROLOGIA

Nível do rio Mississippi em Iowa deve figurar entre os dez mais altos já observados, mas abaixo dos valores recordes de enchentes passadas como a de 1993 | SCOTT OLSON/AFP/GETTY IMAGES/METSUL METEOROLOGIA

Degelo da grande quantidade de neve que caiu nos meses de inverno no Norte dos Estados Unidos favoreceu a grande cheia que ruma agora para o Sul pelo Centro do país até desaguar no Golfo do México | SCOTT OLSON/AFP/GETTY IMAGES/METSUL METEOROLOGIA

A região tem na memória o ano de 1993. O tamanho e o impacto da Grande Inundação de 1993 foram sem precedentes no que se considera a inundação mais cara e devastadora na história moderna dos Estados Unidos. Os níveis recordes de rios, a extensão da área afetada, o número de pessoas deslocadas, a quantidade de colheitas e danos materiais e sua duração superaram todas as inundações anteriores nos Estados Unidos nos tempos modernos.

Espera-se que a inundação diminua à medida que a vazão de água da neve derretida desça os 3.700 quilômetros de extensão do rio em seu caminho para o Golfo do México. A maioria dos afluentes em Iowa, Illinois e outros estados do Meio-Oeste está com um nível mais baixo do que o normal antes da chegada da vazão de cheia.

A enchente passa pela grande quantidade de neve que se precipitou durante o inverno no Norte dos Estados Unidos. St. Paul e Minneapolis registraram 90,3 polegadas de neve ou 2,29 metros. Duluth foi a cidade mais impactada, acumulando 137,1 polegadas ou 3,48 metros de neve nos últimos meses, de acordo com o Departamento de Recursos Naturais de Minnesota.

Anúncios