Anúncios

Os dois hemisférios do planeta vivem extremos de frio e calor com neve e incêndios, acompanhando ondas de frio e de temperatura extremamente altas que são registradas no verão setentrional e no inverno meridional no final de julho e neste começo de agosto.

Cidade de Cambará do Sul, nos Campos de Cima da Serra do Rio Grande do Sul, completamente branca na manhã de 29 de julho pela forte nevada da noite anterior que foi a mais forte e abrangente na região desde agosto de 2013 | William Eduardo Films

No Hemisfério Sul, os últimos dias de julho foram marcados por uma poderosa massa de ar antártica que trouxe rara precipitação de neve no Uruguai e a segunda maior nevada em abrangência e intensidade até agora neste século no Rio Grande do Sul.


Além da neve, Santa Catarina teve mínimas de até -10ºC e a cidade de São Paulo registrou a sua menor mínima em julho desde o ano 2000 e a segunda mais baixa temperatura do século até o momento, além de outros recordes que foram registrados em outras cidades do Sul e do Sudeste do Brasil. As imagens da neve no Sul brasileiros correram o mundo, afinal as cenas que foram típicas de uma nevasca não são comuns para o território brasileiro.

No Hemisfério Norte, incêndios seguem fora de controle no Oeste dos Estados Unidos com a fumaça se espalhando na alta atmosfera por dezenas de estados norte-americanos. Na Rússia, graves incêndios florestais são registrados neste momento na Sibéria. O pior, contudo, ocorre na costa do Mediterrâneo que enfrenta uma brutal onda de calor desde a metade da última semana.

Fumaça negra sobre um complexo hoteleiro durante um grande incêndio florestal na região turística mediterrânea na costa Sul da Turquia, perto da cidade de Manavgat, em 29 de julho de 2021. Pelo menos seis pessoas foram mortas nos incêndios e mais de 100 ficaram feridas enquanto os bombeiros lutavam contra o fogo que envolvia uma região turística mediterrânea. As autoridades também lançaram uma investigação sobre as suspeitas de que os incêndios que eclodiram na quarta-feira em quatro locais a Leste do ponto turístico de Antalya foram de origem criminosa. | Ilyas Akengin/AFP/MetSul Meteorologia

Turistas foram evacuados de praias no Sudoeste da Turquia com a ameaça do fogo chegar às cidades e aos hotéis em que estão sendo hospedados. A região enfrenta por vários dias os piores incêndios florestais em anos em meio a uma rara onda de calor.

Ao menos seis pessoas já morreram por conta dos incêndios florestais que atingem a costa da Turquia. Elas estavam entre os milhares de bombeiros e voluntários que atuam por dias no combate ao fogo. São mais de cem focos de incêndio ardendo na região e a maioria segue fora de controle. O fogo castiga também áreas da Grécia.

A temperatura mínima de 34,3ºC em Kalymnos, na Grécia, no dia 31 de julho, foi a mais alta já registrada na Europa em julho e a segunda mais alta ocorrida no continente ate hoje em um mês de verão.

Em junho de 2007, outro ano de frio muito intenso no Sul do país no inverno e que teve neve depois de 70 anos na cidade de Buenos Aires, as mínimas mais altas na Grécia e na região italiana da Sicília variaram entre 34ºC e 36ºC.


O recorde de maior temperatura mínima já observada na Europa em agosto é de 34,0ºC na Sicília em 1999 e pode cair nos próximos dias com a manutenção da intensa onda de calor que castiga a região do Mediterrâneo. Agosto de 1999 teve uma nevada na Serra Gaúcha na madrugada do dia 15.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

Na Albânia, a onda de calor que assola o Mediterrâneo elevou a temperatura para 42,2ºC neste domingo na capital Tirana. É a mais alta temperatura já registrada na cidade. Esta marca supera o recorde anterior de 6 de julho de 1988. Outras estações do país também tiveram recordes absolutos de temperatura máxima nesta onda de calor.

Anúncios