Anúncios

Furacões são sistemas de clima mais quente e se formam sobre águas muito quentes, mas no hemisfério Norte são capazes de manter o status de furacão até latitudes mais altas em regiões frias e um dia neste fim de semana deve provocar uma muito rara situação de causar uma tempestade de neve. A tempestade pós-tropical Larry deve chegar à Groenlândia neste fim de semana e trazer uma nevasca de mais de metro.

CIRA/CSU

Em seu nono dia como um furacão, Larry era nesta sexta-feira um furacão categoria 1 com ventos com força de furacão estendendo-se por até 150 quilômetros do seu centro e ventos com força de tempestade tropical se estendendo por até 400 quilômetros. Correntes de vento levam Larry para Nordeste, o que fará com que o sistema atinja na noite desta sexta Newfoundland, a grande ilha que faz parte da província canadense de Newfoundland and Labrador.


Ao avançar sobre águas mais frias e ao encontrar vento mais divergente (cisalhamento), o furacão deixar de ser um sistema tropical e passar a ser um poderoso ciclone extratropical, mas Larry ainda pode ser classificado como um furacão de categoria 1 quando atingir o Sudeste de Newfoundland. O último furacão a atingir Newfoundland foi Igor em 2010.

Furacões que atingem a Terra Nova (Newfoundland) são incomuns. O banco de dados de furacões da NOAA mostra que apenas 13 furacões de categoria 1 ou mais fortes atingiram a ilha desde 1851. Dois deles eram tempestades de categoria 2: Michael em 2000 e uma tempestade sem nome de 1893. No entanto, muitos outros sistemas passaram pela região como tempestades extratropicais com força de furacão logo após terem perdido suas características tropicais.

NHC

Após deixar Newfoundland, Larry continuará a trazer severas mudanças do tempo. Deve trazer vários metros de neve no Sudeste da Groenlândia enquanto atua ao largo da costa com ventos fortes carregados de umidade em direção ao terreno acidentado da ilha.

A queda de neve gerada pelo furacão pode ser um fator surpreendente para ajudar a manter os níveis de gelo da Groenlândia a despeito do aquecimento do clima.

Um ciclone que era um furacão trazer uma nevasca trata-se de um fato raro, mas não inédito. Basta que um ciclone que era tropical perca as suas características e passe a extratropical ao chegar em áreas mais afastadas dos trópicos, encontrando uma massa de ar muito fria.

CBS News/Reprodução

Foram poucas as vezes em que situação como a prevista para este fim de semana foi documentada. O Furacão da Nova Inglaterra de 1804, por exemplo, foi o primeiro ciclone tropical registrado na história a produzir neve. Segundo relatos, totais de neve de até 1,20 metro foram medidos em partes de Vermont, no Nordeste dos Estados Unidos. Os navios sofreram danos significativos com a tempestade de outubro de 1804.


Outros outrora furacões que trouxeram neve foram Ginny em 1963, Sandy em 2012 e Zeta em 2020. O furacão Sandy é talvez o furacão mais infame a ter causado neve. A tempestade se desenvolveu no final de outubro de 2012 e afetou 24 estados dos Estados Unidos, incluindo toda a Costa Leste, da Flórida ao Maine, e a Oeste através das Montanhas Apalaches e tão a Oeste quanto Michigan e Wisconsin. De acordo com o Washington Post, Sandy despejou muita neve nas Montanhas Apalaches Centrais, derrubando telhados, árvores e linhas de energia.

Assine gratuitamente nossa newsletter para notícias e alertas

O furacão Zeta de 2020 produziu neve em outubro com vários centímetros relatados de New Jersey a Massachusetts, no Nordeste dos Estados Unidos. Assim, embora não seja inédito, ainda é incrivelmente raro que um furacão traga neve, principalmente no início de setembro.

Anúncios