O furacão Laura segue se intensificando sobre as águas muito quentes do Golfo do México à medida que se aproxima do Sul dos Estados Unidos. Na manhã desta quarta-feira (26), o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos elevou a tempestade para categoria 3 na escala Saffir-Simpson, o que coloca Laura na condição de um furacão intenso (categoria 3 a 5). É o primeiro furacão intenso da temporada no Atlântico. 

Laura ganha força rapidamente e o Centro Nacional de Furacões (NHC) prevê que atingirá categoria 4 na escala que vai até 5.


Há modelos sugerindo até que que poderia atingir categoria 5. O furacão deve tocar terra entre a Louisiana e o Texas no final do dia de hoje ou no começo da quinta-feira. É uma das principais regiões do mercado de energia no mundo pela indústria de petróleo. 


O NHC está advertindo em comunicados que Laura será um furacão “potencialmente catastrófico” com risco à vida ao atingir terra com “vento extremo” e “catastrófica elevação da maré”.


O mar, segundo projeções do centro, poderia subir até 5 metros e avançar até 50 quilômetros terra adentro nas áreas baixas dos litorais do Texas e da Louisiana. 

Desde 1950, ocorreram apenas sete furacões de categoria 4+ no Golfo do México: Camille (1969), Allen (1980), Andrew (1992), Bret (1999), Charley (2004), Katrina (2005), e Harvey (2017).

Os moradores do Texas ainda têm na memória os enormes estragos dos furacões Ike e Rita que arrasaram o litoral da região.