Anúncios

Temporal com vendaval isolado causou estragos ontem no município catarinense de Petrolândia | Divulgação

Chuva atinge os três estados do Sul do Brasil nesta terça-feira com pancadas isoladamente fortes, apesar de muito mal distribuídas, e risco de temporal em pontos localizados em que há possibilidade de queda de granizo e de vendavais, assim como ocorreu nos últimos três dias na região.

O sol chega a aparecer com nuvens em parte do Rio Grande do Sul hoje, contudo a nebulosidade aumenta muito e o tempo se instabiliza com chuva na maior parte do Estado no decorrer do período. Já chove em muitas cidades gaúchas durante a manhã, mas a instabilidade só alcança algumas localidades da tarde para a noite.


Nos locais em que chove mais tardiamente, o dia volta a ser de calor e abafamento, porém a instabilidade desde cedo impede o calorão intenso dos últimos dias na maioria dos municípios. Nas localidades com chuva desde cedo, caso de Porto Alegre, apesar de não se repetir o calor dos primeiros três dias do ano, a terça-feira será muito abafada.


Com a aproximação de uma frente fria e a o ar quente sobre o Estado, formam-se áreas de instabilidade fortes e isoladas com chuva forte e risco de granizo e vendavais. A chuva, no geral, será muito irregular e insuficiente para atenuar os efeitos da estiagem na maior parte das cidades.

Temporais desde a virada do ano

O risco maior de temporal hoje em pontos isolados será da tarde para a noite em diferentes áreas do Rio Grande do Sul e principalmente de Santa Catarina e o Paraná. Não são esperadas ocorrências generalizadas de tempo severo, mas pontuais e localizadas em poucos municípios, uma vez que a instabilidade não avança de forma organizada como uma linha e é dispersa pelo Sul do Brasil.

No primeiro dia do ano, áreas de instabilidade que avançaram do Uruguai trouxeram rajadas de vento de 93 km/h em Quaraí, 91 km/h em Livramento e 78 km/h em Dom Pedrito. No domingo, temporais com vento forte e granizo atingiram os vales e a Grande Porto Alegre com mais de 120 mil clientes de empresas concessionárias de energia sem luz.

O vento chegou a 103 km/h em Rio Pardo. No Vale do Taquari, especialmente no município de Bom Retiro do Sul, os estragos foram maiores pelo vendaval que derrubou árvores e destruiu galpões na área rural do município. Em Porto Alegre, o temporal que se abateu sobre a cidade por volta das 16h do domingo veio com chuva forte em alguns bairros e ventania de 81 km/h no Aeroporto Salgado Filho.

Ontem, vendaval causou estragos no município catarinense de Petrolândia. Um estabelecimento comercial foi destruído pelo vendaval localizado e foi destelhado durante a forte tempestade que veio acompanhada de granizo. Havia pessoas no local quando se abateu o vendaval, mas ninguém ficou ferido.

Formações de temporal são isoladas

Com a atmosfera aquecida pela massa de ar quente que cobre o Centro da América do Sul e o aumento da umidade, o cenário se torna favorável à formação rápida de nuvens de grande desenvolvimento vertical em alguns locais e que geram tempo severo.

Com isso, pontos isolados podem ter ocorrências de granizo e vendavais, alguns fortes e com potencial de danos. Estes temporais são ainda capazes de despejar volumes muito altos de chuva em áreas localizadas em curto período com alagamentos e inundações repentinas.

Somente a curto prazo é possível afirmar que um determinado município será atingido por tempestade. Horas ou dias antes, apenas é possível se antecipar que uma região tem risco de tempo severo. É virtualmente impossível dizer dias antes que uma certa localidade terá forte temporal porque são ocorrências isoladas que, em alguns casos, atingem apenas parte de um município.

Anúncios