Anúncios

Uma frente fria muda o tempo nesta segunda-feira no Rio Grande do Sul com chuva e chance de temporais isolados, mas a grande expectativa é por precipitações que possam aliviar o atual quadro de estiagem que assola grande parte do território gaúcho e agrava a cada dia as perdas no setor primário.

A imagem do satélite GOES-16 da NOAA/NASA da manhã deste primeiro dia do ano mostrava a frente fria trazendo aumento de nebulosidade no Centro da Argentina e no Uruguai. Em Buenos Aires, no aeroporto internacional de Ezeiza, a temperatura no final da manhã era de apenas 23ºC.


No outro lado do Rio da Prata, onde o sistema frontal ainda não avançou, o Uruguai enfrentava uma primeira manhã do ano com temperatura bastante elevada e calor em quase todos os departamentos do país.


O Uruguai ainda está sob a influência de uma massa de ar muito quente que cobre também o Rio Grande do Sul. A tarde de hoje, em áreas do Uruguai perto da fronteira com o Brasil, será excessivamente quente com marcas perto e ao redor dos 40ºC, especialmente entre Cerro Largo e Rocha.

No estado gaúcho, o primeiro dia do ano tem a presença do sol, mas ao longo do dia aparecem nuvens em todas as regiões. Da tarde para a noite, chuva muito isolada na Metade Norte enquanto áreas de instabilidade avançam pela Metade Oeste com chuva irregular e temporais isolados por conta do forte calor que terá máximas altíssimas no Sul gaúcho.

O sistema frontal avança pelo estado no decorrer desta segunda-feira e deve chover em todas as regiões, mas parte do dia ainda deve ter sol, nuvens e calor antes da chegada do sistema frontal. Já chove em alguns pontos de manhã, mas a instabilidade maior ocorre da tarde para a noite.

Na terça, a chuva ainda atinge setores do Norte e do Nordeste gaúcho com tendência gradual de melhora do tempo e o retorno do sol no decorrer do dia para todas as regiões. Com a frente se deslocando para o Norte, Santa Catarina e o Paraná deve ter chuva em muitos locais entre terça e quarta com risco de tempestades localizadas.

Volumes de chuva

A frente fria vai trazer chuva para todas as regiões gaúchas, mas que não será suficiente para aliviar a estiagem. A MetSul antecipa chuva irregular e mal distribuída. Os maiores volumes tendem a se concentrar na Metade Norte, mas mesmo nesta parte do estado em que mais deverá chover os volumes vão variar enormemente e os acumulados em alguns pontos serão baixos.

O mapa acima mostra a projeção de chuva para 72 horas, até 21h de terça, do modelo de alta resolução WRF. Observa-se a tendência de chover mais na Metade Norte enquanto no Sul gaúcho as precipitações serão menores a ponto de em alguns pontos mais ao Sul ser possível que sequer chova na passagem da frente e o tempo mude apenas com aumento da cobertura de nebulosidade com rotação do vento e queda de temperatura.

Chama atenção no mapa como os pontos com volumes mais altos, e são vários, são bastante isolados, sinalizando que na passagem da frente fria haverá chuva forte a torrencial, entretanto em setores localizados, o que pode vir acompanhando temporais isolados.

O modelo alemão Icon mostra igual tendência com os maiores volumes neste início de semana entre a Metade Norte gaúcha e o Paraná. A chuva mais expressiva na Metade Norte ocorre da tarde para a noite desta segunda e no começo da terça enquanto nos estados catarinense e paranaense as precipitações tendem a se dar mais entre terça e quarta.

Além de esta frente não trazer chuva volumosa para a maioria das cidades gaúchas, a tendência é de grande variabilidade de volumes. Acumulados altos serão isolados com ameaça de alagamentos em consequência elevados volumes em curto período. A maioria das localidades gaúchas deve ter apenas 10 mm a 30 mm, o que com o calor desta época do ano e maior número de horas de sol acaba evaporando rapidamente.

Risco de temporais

O cenário na passagem desta frente fria indica possibilidade de ocorrências de tempestades em pontos isolados nesta segunda com risco de granizo e rajadas de vento forte. Pondera-se, contudo, que em caso de temporais devem ser muito localizados e em poucos pontos. Não se antecipa, assim, tempo severo generalizado.

A massa de ar muito quente com elevada temperatura precedendo a chegada da frente fria agrava o risco de temporais isolados. As regiões de maior risco de tempo severo são a Metade Norte gaúcha, Santa Catarina e o Paraná.

Os índices de instabilidade, como o CAPE (Convection Available Potential Energy) para o Sul do Brasil na tarde desta segunda mostram valores localmente elevados, embora não extremos, o que sugere o risco de tempestades localizadas.

Como consultar os mapas

Todos os mapas de chuva neste boletim podem ser consultados pelo nosso assinante (assine aqui) na nossa seção de mapas. A plataforma oferece ainda mapas de chuva, geada, temperatura, risco de granizo, vento, umidade, pressão atmosférica, neve, umidade no solo e risco de incêndio e raios, dentre outras variáveis, com atualizações duas a quatro vezes ao dia, de acordo com cada simulação. Na seção de mapas, é possível consultar ainda o nosso modelo WRF de altíssima resolução da MetSul. (Com foto de capa de @drribeiro/Twitter)

Anúncios